“As instalações de robôs em todo o mundo se recuperaram fortemente e fazem de 2021 o ano de maior sucesso para a indústria de robótica”, diz Milton Guerry, Presidente da Federação Internacional de Robótica (IFR).

“Devido à tendência contínua de automação e inovação tecnológica, a demanda atingiu altos níveis em todos os setores. Em 2021, até o recorde pré-pandemia de 422.000 instalações por ano em 2018 foi superado”, acrescentou.

Segundo resultados preliminares publicados pela Federação Internacional de Robótica, em 2021 as instalações de robôs industriais na Europa se recuperaram após dois anos de declínio – superando o pico de 75.600 unidades em 2018.

Embora o número de novas instalações da indústria automotiva europeia tenha se mantido estável (19.300 instalações), a demanda da indústria de metal e máquinas aumentou fortemente (15.500 instalações, +50%), seguida por plásticos e produtos químicos (7.700 instalações, +30%).

Nas Américas, o número de instalações de robôs industriais atingiu o segundo melhor resultado de todos os tempos, superado apenas pelo ano recorde de 2018 (55.200 instalações). O maior mercado americano, os Estados Unidos, embarcou 33.800 unidades – o que representa uma participação de mercado de 68%.

A Ásia continua sendo o maior mercado de robôs industriais do mundo: 73% de todos os robôs recém-implantados em 2021 foram instalados na Ásia. Em 2021, foram embarcadas 354.500 unidades, um aumento de 33% em relação a 2020. A indústria eletrônica foi a que mais incorporou robôs (123.800 instalações, +22%), seguida por uma forte demanda da indústria automotiva (72.600 instalações, +57 %) e a indústria metal-mecânica (36.400 instalações, +29%).

Proteus

Nesta quarta-feira (22), a Amazon anunciou, no evento re:MARS em Las Vegas, o seu "primeiro robô móvel totalmente autônomo" no piso de seus armazéns.

Proteus. Reprodução: © Amazon
Proteus. Reprodução: © Amazon

"O Proteus se move de forma autônoma através de nossas instalações usando tecnologia avançada de segurança, percepção e navegação desenvolvida pela Amazon. O robô foi construído para ser automaticamente direcionado para realizar seu trabalho e se mover em torno de funcionários — o que significa que não precisa ser confinado a áreas restritas. Ele pode operar de forma simples e segura entre tecnologia e pessoas — abrindo uma gama mais ampla de usos possíveis para ajudar nossos funcionários", disse a empresa.

Buscando evitar armadilhas existentes de design de robôs autônomos, o dispositivo "lentamente atravessa uma multidão, muito lentamente", em vez de parar quando encontra um grupo de pessoas como alguns robôs fazem, explicou o tecnólogo chefe da Amazon Robotics, Tye Brady.

O Proteus será implantado inicialmente nas áreas de manuseio de produtos que serão enviados para os consumidores. A Amazon afirma que mais de 520 mil unidades de acionamento robótico estão espalhadas em seus armazéns pelo mundo. Reprodução: © Amazon
O Proteus será implantado inicialmente nas áreas de manuseio de produtos que serão enviados para os consumidores. A Amazon afirma que mais de 520 mil unidades de acionamento robótico estão espalhadas em seus armazéns pelo mundo. © Amazon

Em 10 years of Amazon robotics, a empresa admite que historicamente tem sido "difícil incorporar a robótica com segurança no mesmo espaço físico que as pessoas".

Em um caso específico, 24 funcionários da Amazon foram hospitalizados em 2018, quando um robô no armazém de Robbinsville, New Jersey, acidentalmente rompeu a lata de um produto spray contra ataque de ursos.

Posteriormente, a empresa equipou seus trabalhadores com "coletes tecnológicos robóticos", projetados com sensores que interagem com os recursos de detecção de obstáculos dos robôs para alertar as máquinas para se afastarem. Os problemas persistiram.

Proteus não foi o único robô introduzido no evento da Amazon. O dispositivo chamado Cardinal, com um braço robótico capaz de levantar até 22 kg, foi projetado para classificar pacotes no início do processo de envio.

Veja também: