Segundo estimativa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), metade das vagas deve ser aberta pelo varejo de vestuário, tecidos e  calçados. Os supermercados concentrarão cerca de 25% das vagas e o restante será dividido entre os segmentos de  eletrodomésticos; eletrônicos e lojas de departamentos; móveis e decoração; farmácias e perfumarias.

A expectativa de crescimento de 8% na abertura de vagas temporárias para este ano, considerou a conjuntura geral positiva do País; os resultados do setor, que apontam alta de 5%; o pagamento da primeira parcela dos 13º dos aposentados; a liberação de recursos do PIS e do FGTS; o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) de setembro, que cresceu 13% em relação ao mesmo mês de 2018; e as novas regras introduzidas pela Lei n.º 13.429/2017 (trabalho temporário) e pela Reforma Trabalhista (Lei n.º 13.467/2017).

A regra para o trabalho temporário estabelece que o período de contrato, que é de até 180 dias, possa ser estendido por mais 90 dias.

A FecomercioSP estima que 10% das vagas geradas no período serão nas modalidades parcial e intermitente.

No trabalho intermitente, as partes estabelecem em contrato, registrado na carteira de trabalho, o local, a forma de convocação e o prazo para pagamento da remuneração. O trabalhador deve ser convocado com três dias corridos de antecedência e tem 24 horas para responder o chamado.

* Com informações da FecomercioSP

Veja também: