Para celebrar o centenário do nascimento de Chaya Pinjasovna Lispector, mais conhecida como Clarice Lispector, a Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, da Universidade de São Paulo, reuniu gravuras, desenhos, pinturas, aquarelas, cerâmicas, fotografias e instalações de 33 artistas abordando a obra da escritora e jornalista ucraniana de origem judia naturalizada brasileira.

"São produções desafiadoras para o artista visual. Porque envolvem a transformação, em imagens, da palavra de Clarice Lispector, que escreve de uma forma provocativa e que leva à reflexão", disse Altina Felício, curadora e artista, que assina uma aquarela na exposição.

Clarice chegou ao Brasil em 1922, fugida da Guerra Civil Russa, com dois anos de idade. Depois de um breve período em Maceió, a família mudou para Recife, onde Clarice viveu até os 14 anos de idade. Daí, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde estudou Direito, trabalhou como tradutora e se consagrou como escritora e jornalista.

Frases

“Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho”.

“Sim, minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem das grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite”.

“Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso. E que essa tensão que me corrói por dentro seja um dia recompensada porque metade de mim é o que penso mas a outra metade é vulcão”.

“Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu  mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer  entendimento”.

Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM)
A Imagem e a Palavra – Encontro com Clarice Lispector
Endereço: Rua da Biblioteca, 21 Cidade Universitária da USP - São Paulo/SP
Período: de 9 de março até 30 de abril de 2020
Horário: Segunda a sexta-feira, das 10h às 18h
Entrada grátis

* Com informações da USP e Xapuri

Veja também: