A Comissão Europeia anunciou em janeiro a assinatura de um segundo contrato para a compra de vacinas para prevenir a covid-19, prevendo 200 milhões de doses e uma opção de compra de mais cem milhões de doses, elevando o total de vacinas contratadas à Pfizer-BioNTech para 600 milhões.

O anúncio desta segunda-feira (19) é resultado da decisão da Comissão Europeia de exercer sua opção de compra de 100 milhões de doses adicionais, estabelecida no Acordo de Compra Avançada expandido, assinado em 17 de fevereiro de 2021.

“Continuamos empenhados em avançar o mais rápido e com segurança possível para levar esta vacina a mais pessoas na Europa, visto que o vírus mortal continua a causar estragos em todo o continente” disse Albert Bourla, Presidente e CEO da Pfizer, em comunicado. “Até o momento, cumprimos todos os nossos compromissos de fornecimento para a CE e planejamos entregar 250 milhões de doses para a União Europeia no segundo trimestre, um aumento de quatro vezes na quantidade acordada no primeiro trimestre”.

“As 100 milhões de doses adicionais deste exercício opcional irão ajudar ainda mais a apoiar a aceleração das campanhas de vacinação em toda a UE. Agora pretendemos entregar um total de 600 milhões de doses para a UE este ano, o que cobre dois terços da população da UE e representa o maior acordo acumulado de fornecimento para a Cominarty que foi feito até agora em todo o mundo", disse Sean Marett, chefe de negócios e diretor comercial da BioNTech.

Atualização 22/04

Comissão Europeia confirma que não vai encomendar mais doses da vacina da AstraZeneca

Em uma entrevista coletiva na quinta-feira (22), um porta-voz da Comissão Europeia (CE) disse que nenhuma decisão foi tomada ainda quanto a iniciar uma ação legal contra a AstraZeneca por atraso nas entregas, mas confirmou relatos que a União Europeia decidiu não exercer a opção de compra de mais 100 milhões de doses da vacina da empresa.

O contrato da Comissão com a empresa farmacêutica anglo-sueca previa a entrega de 300 milhões de doses com opção de compra de mais 100 milhões. O porta-voz disse que essa opção expirou sem ser exercida e acrescentou que não há intenção da CE comprar mais vacinas da AstraZeneca, confirmando relatos anteriormente publicados na imprensa.

Atualização 26/04

A Comissão Europeia anunciou nesta segunda-feira (26) que iniciou uma ação legal contra a AstraZeneca por descumprimento do contrato de fornecimento de vacinas para prevenção da covid-19 e por não ter um plano confiável para garantir as entregas a tempo.

Leitura recomendada:

Veja também: