Os equipamentos, batizados de Carcará I e Carcará II, fazem parte do Projeto Lessonia 1, da Força Aérea Brasileira.

O projeto opera uma constelação de satélites de órbita baixa, que busca atender as necessidades das Forças Armadas, do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), e de outras agências do governo.

Cada satélite tem volume de um metro cúbico e pesa cerca de 100 kg. Com potência de 300W, utiliza cinco painéis solares e incorpora sensor de alta resolução, gerando imagens que podem ser obtidas independentemente das condições meteorológicas.

As imagens captadas serão utilizadas em apoio ao combate ao tráfico de drogas e mineração ilegal, atualização de produtos cartográficos, determinação da navegabilidade de rios, visualização de queimadas, monitoramento de desastres naturais, vigilâncias da Zona Econômica Exclusiva (ZEE) e apoio às operações de vigilância e controle das fronteiras, entre outras capacidades.

Veja também: