Encarregada de fornecer o catalisador para a diversificação da economia russa, as atividades da Fundação Skolkovo são reguladas por lei específica, que fornece condições econômicas especiais para as startups que detém conhecimento em cinco áreas: eficiência energética, tecnologias estratégicas de computador, biomedicina, tecnologias nucleares e tecnologias espaciais.

A Fundação criou e supervisiona o Centro de Inovação Skolkovo, composto por empresas e startups, o Skolkovo Technopark, e o Instituto de Ciência e Tecnologia Skolkovo (Skoltech), uma nova universidade de pesquisa de pós-graduação criada em colaboração com o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e a cidade de Skolkovo, localizada próxima de Moscou.

Mais de US$ 8 bilhões já foram gastos na criação da infraestrutura do centro de inovação, incluindo US$ 1,6 bilhão de fundos orçamentários.

“Os investimentos do Estado foram exclusivamente para infraestrutura. Isso possibilitou às empresas desenvolver seus negócios, construir centros de pesquisa e desenvolvimento. Foi construída uma nova universidade que funciona com sucesso”, observou o presidente da Skolkovo, Arkady Dvorkovich.

Cerca de 90% das áreas da primeira etapa estão ocupadas.

O centro de inovação planeja expandir sua área para 3,5 milhões de metros quadrados e abrigar 50 mil pessoas © S
Skolkovo Technopark (2018). O centro planeja expandir sua área de 800 mil m2 para 3,5 milhões m2 e abrigar 50 mil profissionais

Além dos centros de empresas existentes, como  Tatneft, KAMAZ, e outras, estão sendo criados novos campus. Segundo Dvorkovich, o Sberbank está construindo um enorme parque tecnológico, e vários novos centros de P&D serão instalados pela FANUC, Centro Médico Coreano, Universidade de Estrasburgo, entre outros.

No final de dezembro, a Fundação aprovou a destinação de um terreno de 200 mil metros quadrados para a construção do campus da Yandex, gigante russa da Internet, que abrigará um data center, laboratórios, escritórios, a universidade corporativa Yandex, instituições educacionais de escolas e pré-escolas e outras instalações. A área construída prevista do campus é de 20 mil metros quadrados e a expectativa é que as obras serão concluídas em 10 a 15 anos.

Hoje, no centro de inovação de Skolkovo existem mais de duas mil startups. Cerca de 400 delas, criadas em 2014-2015, já estão operando com lucro, atuando em segurança de computadores, sistemas robóticos, produtos farmacêuticos e outras áreas.

As startups de Skolkovo também vêm obtendo sucesso nos mercados internacionais, notavelmente em equipamentos para modelagem dinâmica de campos de petróleo e gás, telas de próxima geração e sistemas a laser para cirurgia de tecidos moles, mas o interesse sobretudo é conquistar uma fatia do mercado de cidades inteligentes.

“As empresas russas já estão entrando no mercado de outros países com projetos de segurança da informação. O segundo tópico são soluções digitais para cidades”, disse Arkady. "Estamos falando do trabalho da polícia, serviços especiais, do Ministério de Emergências, na gestão de transportes, incluindo o tráfego rodoviário nas cidades, sobre outros serviços públicos, inclusive na área da saúde. Essa tendência começou e está se desenvolvendo ativamente nas grandes cidades, especialmente em Moscou, que é um dos líderes, e não na Rússia, mas no mundo. Você pode tomar essas decisões como base e complementá-las com algumas soluções locais, incluindo as que estão sendo desenvolvidas em determinadas regiões do nosso país."

ROI

Segundo Dvorkovich, os investimentos públicos federais estão gradualmente retornando, devido às receitas tributárias, que terão grande impulso a partir de 2025, com a entrada da segunda geração de startups no mercado.

Em 2018, a receita das startups participantes da Skolkovo totalizou US$ 1,5 bilhão. A receita total em nove anos do projeto alcançou US$ 4,8 bilhões.

“Estamos cooperando ativamente com o governo de Moscou: nossas empresas pagam impostos e metade do imposto de renda é devolvido ao orçamento de Skolkovo para novos investimentos”, disse Arkady Dvorkovich.

Ao longo da última década, a Fundação Skolkovo ganhou vasta experiência na pesquisa, seleção e avaliação de projetos de tecnologia com graus variados de maturidade. Nos últimos dois anos, atenção especial foi dada à resposta a solicitações de clientes corporativos em busca de uma tecnologia específica.

"A estreita parceria entre a Fundação Skolkovo e grandes empresas levou nossos relacionamentos ao próximo nível de confiança, onde podemos, francamente e em termos claros, discutir as barreiras tecnológicas que dificultam o desenvolvimento dos negócios e os mecanismos para superá-las", observa Kirill Kaem, SVP de inovação.

Atualmente, cerca de 30 empresas globais, incluindo Boeing, Cisco, EADS, GE, Johnson & Johnson, AstraZeneca, IBM, Intel, Microsoft, Siemens, Nokia e Samsung mantém acordos de pesquisa e desenvolvimento (P&D) com a Fundação.

O presidente da Skolkovo compartilhou os planos da Fundação para os próximos anos. "Os indicadores agora são muito mais ambiciosos do que anteriormente, mais especificamente, devido à promulgação da lei de exterritorialidade de Skolkovo e à possibilidade de interagir com um número maior de startups e parceiros em todo o país", disse Dvorkovich. "Por exemplo, o número de participantes do projeto deve exceder 3.000 no final de 2022".

* Com dados e informações da Fundação Skolkovo

Veja também: