O comunicado oficial diz: "Incorporando a vontade comum e o desejo de estabelecer relações em todas as esferas, a República Árabe Síria decidiu reconhecer a independência e a soberania da República Popular de Lugansk e da República Popular de Donetsk".

A agência de notícias síria SANA acrescentou que serão realizadas conversações com os dois países para chegar a um acordo sobre um quadro para o fortalecimento das relações, incluindo o estabelecimento de relações diplomáticas seguindo regras conhecidas.

A decisão de Damasco de reconhecer a independência das Repúblicas foi relatada em 22 de fevereiro, um dia após o decreto sobre o reconhecimento pela Rússia ter sido assinado por Vladimir Putin. O comunicado oficial foi emitido hoje.

Segundo a agência russa TASS, o Embaixador da LPR na Federação Russa, Rodion Mirochnik, afirmou que a decisão de reconhecer a independência de Donetsk e Lugansk pela Síria não foi formalizada no momento.

No início de junho, o presidente sírio Bashar al-Assad iniciou o processo de reconhecimento oficial das Repúblicas Donetsk e Luhansk.

O chefe da LPR, Leonid Ivanovich Pasechnik, fez um discurso em 16 de junho declarando que vários países, incluindo a Síria, estavam prontos para reconhecer a independência da LPR e da DPR.

A Síria é o segundo Estado-membro da ONU que decidiu dar tal passo. A Abcásia e a Ossétia do Sul também reconhecem a independência das Repúblicas. O resto das nações continua a definir as repúblicas autoproclamadas como entidades separatistas sob controle russo e seus territórios como território soberano da Ucrânia.

O reconhecimento da LPR abre as portas para o desenvolvimento de novos mercados, disse Pasechnik à TASS nesta quarta-feira.

"O reconhecimento de nossa independência por outro Estado abre novas perspectivas de cooperação em um novo nível global, acelerará o estabelecimento de relações em muitas esferas da vida, contribuirá para o desenvolvimento mútuo de novos mercados", disse Pasechnik.

"Também é importante entender que o povo sírio, como ninguém, sabe como é viver ombro a ombro com militantes e radicais, lutar diariamente por um ano inteiro pela vida pacífica e pelo bem-estar de suas terras nativas", acrescentou.

Atualização 30/06/2022

Em resposta ao reconhecimento da Síria da independência dos territórios ocupados dos oblasts de Donetsk e Luhansk, a Ucrânia rompeu relações diplomáticas com a Síria, impôs um embargo comercial, e sanções à pessoas jurídicas e indivíduos sírios.

Declaração do Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia sobre a ruptura das relações diplomáticas com a República Árabe Síria
30 junho 2022 16:45

O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia condena veementemente a decisão da República Árabe Síria de reconhecer a chamada "independência" dos territórios temporariamente ocupados nas regiões de Donetsk e Luhansk, na Ucrânia.

Consideramos esta decisão um ato hostil contra a Ucrânia, uma invasão à soberania e integridade territorial do nosso Estado, e uma grave violação da lei ucraniana, da Carta das Nações Unidas e das normas e princípios fundamentais do direito internacional. Não há dúvida de que o regime sírio está tentando dar pseudo-subjetividade às administrações de ocupação russas em Donetsk e Luhansk a mando de seus curadores do Kremlin.

Em resposta a este ato hostil, a Ucrânia declara a ruptura das relações diplomáticas com a Síria sem a ruptura das relações consulares, de acordo com o artigo 2º da Convenção de Viena sobre Relações Consulares, feita em Viena em 24 de Abril de 1963. O Lado Ucraniano também está iniciando o processo de impor um embargo comercial à Síria, bem como impor outras sanções a pessoas jurídicas e indivíduos sírios.

"Nossa posição é clara - respondemos da forma mais dura possível a qualquer tentativa de minar a soberania e a integridade territorial da Ucrânia e protegemos os interesses nacionais por todos os meios disponíveis, inclusive na frente diplomática", enfatizou o ministro das Relações Exteriores, Dmytro Kuleba.

Em conexão com os crimes do regime de Bashar Al Assad contra o povo sírio, o lado ucraniano já havia fechado a Embaixada da Ucrânia em Damasco em 2016 e ordenado o fechamento da Embaixada da Síria na Ucrânia em 2018. A proteção dos interesses dos ucranianos na Síria é realizada pela Embaixada da Ucrânia no Líbano.

Veja também: