Os dados são da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Os 11 setores acompanhados pela ABF mostraram crescimento no segundo trimestre em relação ao mesmo período de 2018.

Os setores franqueados que mais cresceram foram o de Serviços e Outros Negócios (9%);  Serviços Educacionais (8,7%), com destaque para as franquias de escolas de idiomas; e Comunicação, Informática e Eletrônicos (8,5%).

Considerando o desempenho semestral, comparado com o primeiro semestre de 2018, o faturamento de Serviços e Outros Negócios cresceu 9,3%, seguido de Casa e Construção, e Comunicação, Informática e Eletrônicos, ambos com aumento de 9%. Serviços Educacionais, na terceira posição, cresceu 8,4%.

O presidente da ABF, André Friedheim, avalia que Serviços devem permanecer liderando o crescimento neste ano, mas há perspectiva de recuperação das franquias de Alimentação no segundo semestre, com crescimento adaptado às novas plataformas, com menor frete, maior capilaridade e facilidades de entrega. “Acho que essas franquias voltam a crescer em modelos  alternativos”.

A ABF projeta para 2019 evolução do faturamento de +7%; emprego e unidades franqueadas, +5%; e redes franqueadas, +1%.

Expansão

Na feira de franquias da ABF  realizada em junho, em São Paulo, um número significativo de visitantes mostrou  interesse em investir em franquias de todos os tipos, “tanto as micro como as franquias tradicionais”, diz Friedheim, alimentando a expectativa de que no terceiro trimestre haja um "bom número" de novos franqueados e de novos franqueadores entrando no mercado.

O presidente da ABF estima que a 13ª Expo Franchising ABF Rio, que  ocorrerá entre os dias 12 e 14 de setembro próximo, no Centro de  Convenções SulAmérica, deverá receber 22 mil pessoas durante o evento. “A expectativa é muito boa”. A feira trará cerca de 200 marcas expositoras e, pela segunda vez, dedicará um espaço com opções de negócios para quem decide viver ou investir em Portugal.

No ano passado, os visitantes puderam conhecer o stand de 407 marcas, além de participar de palestras e outras atividades. Um dos destaques – e que irá permanecer em 2019 – foi o Boulevard de Microfranquias, um espaço para a exposição de modelos de negócio cujo investimento inicial necessário era de até R$ 90 mil.

Para Friedheim, as microfranquias têm um peso importante no desenvolvimento do setor, porque exigem investimento menor, mas franquias tradicionais têm um desempenho melhor.

* Com informações da Agência Brasil