"A proibição de produtos acabados para a Rússia resultará em uma proibição retaliatória no fornecimento de componentes de produção e causará uma aguda escassez de microprocessadores em todo o mundo. Em comparação, a situação de interrupção do fornecimento no final de 2021 parecerá leve", alertou Oleg Izumrudov, chefe do Consórcio de Desenvolvedores Russos de Sistemas de Armazenamento de Dados (RosSHD).

A declaração vem depois que grandes fabricantes mundiais de microprocessadores e semicondutores anunciaram que se juntarão às sanções contra a Rússia. Vários fabricantes suspenderam os embarques para a Rússia, como as americanas Intel e AMD, e a maior produtora terceirizada de semicondutores do mundo, a taiwanesa TSMC, interrompeu a produção dos microprocessadores russos Baikal e Elbrus.

Izumrudov diz que potenciais movimentos de retaliação russa "deixariam quase todo o mundo sem microeletrônica".

Segundo o especialista, a Rússia é responsável por 80% do mercado de substratos de safira – placas feitas de mineral artificial, que são usadas em "todos os processadores do mundo", incluindo os fabricados pela AMD e Intel.

"Nossa posição é ainda mais forte em química especial de gravação de chips usando componentes ultra-puros. A Rússia é responsável por 100% do fornecimento mundial de vários elementos de Terras Raras usados para esses fins", afirma Izumrudov.

Segundo ele, os componentes russos para fabricação de semicondutores seriam quase impossíveis de substituir.

"Falar sobre sanções contra a microeletrônica russa é impossível sem falar de microeletrônica global... Não será possível substituir abruptamente [a Rússia] por locais alternativos de produção de substratos, e não há como substituir terras raras da Rússia", afirma Izumrudov.

Ele diz que o prazo para garantir a qualidade dos substratos de safira, necessários para microchips, por exemplo, é de 30 anos de produção contínua. As fábricas nas quais podem ser feitas devem estar localizadas em condições de atividade sísmica quase zero, o que significa que os produtos de empresas semelhantes aos da Rússia na Califórnia ou Taiwan sismicamente ativos "são visivelmente inferiores em qualidade e volume ao nível exigido na indústria".

Segundo Izumrudov, em um cenário onde os Estados Unidos e seus aliados cortarem a Rússia de seus parceiros tecnológicos, o país tem uma série de opções para reorientar a indústria. A primeira seria utilizar temporariamente a fábrica AMEC da chinesa Semiconductor Manufacturing International Corporation (SMIC).

Além da China, a Índia poderia ser "um parceiro com enorme potencial em Tecnologia da Informação (TI) em geral e microeletrônica em particular", acrescenta.

"A Índia está interessada em entrar no mercado global e tem todos os elementos básicos necessários, especialmente os recursos humanos, para isso. Basta prestar atenção ao número de indianos na alta gestão de gigantes de TI e start-ups, inclusive no campo da microeletrônica", argumenta o especialista, antevendo uma possível interação tecnológica da Rússia com a Índia como "muito promissora".

Segundo Izumrudov, uma terceira opção seria a criação de novas tecnologias dentro da Rússia.

"Além de soluções puramente geográficas para o problema, há também uma forma de criar uma abordagem tecnológica completamente nova para a produção de semicondutores", afirma Izumrudov. Ele sugere a substituição de silício em semicondutores por arsênio de gálio, o que permitiria a criação de arquiteturas de chips 3D em vez da impressão de wafer 2D atual. A produção dessas soluções foi estabelecida na cidade russa de Perm para as necessidades do Ministério da Defesa, diz o especialista, acrescentando que a tecnologia tem potencial para aplicação civil e pesquisas estão em andamento.

Atualização 04/04/2022

Os Estados Unidos aumentaram suas compras de petróleo russo em 43% entre 19 e 25 de março, de acordo com dados da Administração de Informações sobre Energia (EIA). Apesar da proibição da Casa Branca de importações de energia da Rússia, os EUA continuam a comprar até 100.000 barris de petróleo russo por dia.

Veja também: