A movimentação militar ocorre um dia após o alerta de Putin de que Moscou dará uma resposta rápida e dura a qualquer ameaça estrangeira.

Embora as tropas russas deslocadas para a região tenham recebido ordem para retornar aos seus quartéis, segundo comentários veiculados pela estação da TV Zvezda, do Ministério da Defesa da Rússia, a Ucrânia observa a realocação permanente de grandes formações de tropas para a Crimeia, incluindo um regimento de pára-quedistas.

Shoigu havia dito anteriormente que Moscou enviou unidades militares para o oeste do país perto do leste da Ucrânia para exercícios, em um teste de sua prontidão de combate em resposta às "atividades militares ameaçadoras" da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN).

Os exercícios incluíram mais de 10.000 militares, 1.200 unidades de equipamento e 40 navios de guerra, de acordo com o Ministério da Defesa da Rússia.

A União Europeia estimou no início desta semana que as manobras militares envolveram mais de 150.000 soldados russos.

A mobilização preocupava cada vez mais a OTAN, as capitais europeias e Washington, mas analistas lançaram dúvidas sobre as hipóteses de que a Rússia estaria planejando uma invasão secreta da Ucrânia com sua visível destinação de unidades, incluindo navios de guerra, blindados modernos e aeronaves de ataque.

Imagem de satélite mostra equipamentos militares russos estacionados perto de Voronezh, cerca de 160 quilômetros da fronteira com a Ucrânia. © Maxar Technologies
Imagem de satélite mostra equipamentos militares russos estacionados perto de Voronezh, cerca de 160 quilômetros da fronteira com a Ucrânia. © Maxar Technologies

Em reunião na Crimea, Shoigu disse que o treinamento foi concluído com sucesso.

"Acredito que os objetivos da inspeção surpresa foram totalmente alcançados. As tropas demonstraram a capacidade de garantir uma defesa confiável do país", disse Sergei Shoigu durante uma viagem não anunciada para visitar as tropas da linha de frente, segundo a Interfax.

Shoigu instruiu os comandantes das unidades do 58º e 41º exércitos para retornar às suas bases permanentes em Vladikavkaz e Novosibirsk, bem como de várias divisões aerotransportadas retornarem para Pskov, Ivanovo e a região de Krasnodar a partir desta sexta-feira (23), devendo concluir a operação até 1º de maio.

Os equipamentos militares e as armas permanecerão nos campos de treinamento perto da fronteira oriental da Ucrânia, em antecipação a outros exercícios militares russos planejados ainda este ano.

Shoigu disse que todas as tropas russas devem permanecer "em um estado de prontidão para uma resposta imediata em caso de desenvolvimento desfavorável" dos exercícios anuais do Defender Europe, da Otan, que estão ocorrendo em países do leste europeu até junho.

* Com informações da Interfax, TV Zvezda, The Moscow Times, Tass, The New York Times, The Wall Street Journal, The Financial Times

Leitura recomendada:

Veja também: