"A Rússia está pedindo a expansão do Conselho de Segurança da ONU com base em um amplo consenso. Isso exige aumentar a parcela proporcional das nações africanas, asiáticas e latino-americanas para que o Conselho de Segurança da ONU seja capaz de refletir as aspirações das pessoas ao redor do mundo e ser um órgão mais democrático", afirmou no 10º Fórum Global da Paz. "Ao mesmo tempo, gostaria de ser franco – não estamos prontos para apoiar a adesão de atores como a Alemanha e o Japão", disse o embaixador russo na China, Andrey Denisov, nesta segunda-feira (4), na Universidade de Tsinghua, em Pequim, China.

"Não vemos nenhum valor agregado de sua potencial adesão. Dado o equilíbrio atual no Conselho – ou desequilíbrio, devo dizer – é improvável que a adesão dos dois candidatos acima mencionados o fortaleça, pelo contrário, tornará o desequilíbrio ainda mais marcante. Por outro lado, estamos abertos às perspectivas da entrada da Índia e do Brasil", ressaltou o embaixador russo.

"Temos insistentemente chamado para tornar o Conselho de Segurança da ONU o mais representativo possível. Apesar de todas as dificuldades, a ONU continua sendo uma organização única. Esperamos preservar e melhorar essa plataforma", enfatizou Denisov.

* Com informações da TASS

Veja também: