O momento histórico é o tema da exposição 1932: Revolução, Constituição e Cidadania – A força de um ideal. O público tem a oportunidade de conhecer a origem do conflito e os desdobramentos históricos, tecnológicos e políticos decorrentes do movimento Constitucionalista.

A revolta teve início em 9 de julho e é considerada o maior conflito bélico da história brasileira do século 20 – participaram mais de 100 mil combatentes.

A luta armada acabou ficando restrita fundamentalmente a São Paulo. As oposições estaduais não tiveram força militar para criar outros focos de rebelião, mesmo onde havia apoio popular. Rapidamente, São Paulo foi cercada por tropas federais e, após 87 dias de combate, os paulistas se renderam no dia 4 de outubro de 1932.

A mostra foi concebida para ser imersiva e contemplativa, com cenários recriados a partir de pesquisas, itens originais e fotografias da década de 30. A museologia é de Beatriz Cruz e a arquitetura de Icaro Hueza.

A exposição relembra a alternância da Política do Café com Leite, passa pela modernização das indústrias paulistas, destaca a influência do rádio como meio de comunicação e informação no conflito, explora o que eram as trincheiras e seus aparatos bélicos, assombra o visitante com o Fantasma da Morte – o trem blindado estrategicamente posicionado na entrada do Túnel da Mantiqueira, explica batalhas e movimentação de tropas em mapa interativo e encerra com a Proeza Paulista, um ato ousado de pilotos paulistas, que sobrevoaram a cidade do Rio de Janeiro, então capital do Brasil, lançando folhetos sobre o movimento.

Museu da Imagem e do Som (MIS)
1932: Revolução, Constituição e Cidadania – A força de um ideal
Classificação etária: livre
Data:  9 de julho a 11 de setembro de 2022
Horário: terça a domingo, das 11h às 19h
Endereço: Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo/SP
Entrada gratuita