Marcada por uma estética surrealista, a obra de Suzuki destaca-se pelas cores fortes, pelas cenas de ação, e por seu senso de humor, além de trabalhar com a desconstrução espaço-temporal em filmes como Tóquio Violenta e Portal da Carne.

Em seus filmes, assassinos, prostitutas, jornalistas e policiais se movem por um submundo de regras próprias e música rock – herança da ocupação americana.

Ex-combatente da Segunda Guerra Mundial, Suzuki iniciou sua carreira como diretor assistente na Shochiku Company. Em 1954, aceitou uma proposta do estúdio Nikkatsu, então dedicado a filmes de baixo orçamento e alta popularidade, geralmente estórias envolvendo a máfia japonesa, a temida  Yakuza.

Na Nikkatsu, Suzuki produziu cerca de 40 filmes em 12 anos, influenciado pelos filmes de gangster de Hollywood e pelo cinema noir, e foi demitido após concluir A Marca do Assassino (Koroshi no Rakuin, Branded to Kill) porque "o estúdio não poderia bancar longas ruins que eram compreendidos por uma audiência seleta".

 A Marca do Assassino (Koroshi no Rakuin). O estilo selvagem e elíptico do filme hoje é considerado um marco de invenção formal, fonte de inspiração para incontáveis cineastas. © 1967 Nikkatsu Corporation
A Marca do Assassino (Koroshi no Rakuin). O estilo selvagem e elíptico do filme hoje é considerado um marco de invenção formal, fonte de inspiração para incontáveis cineastas. © 1967 Nikkatsu

A demissão levou a um processo judicial que colocou o cineasta em uma lista negra. Após uma década produzindo comerciais e filmes para a TV, Suzuki voltou ao estrelato com Zigeunerweisen (1980), ganhando quatro prêmios da Academia Japonesa em 1981, incluindo os de Melhor Filme e Melhor Diretor.

A Retrospectiva Seijun Suzuki mostra a trajetória de um artista experimental que recupera elementos da cultura pop para criar beleza ríspida e abstrata. O evento acontece no IMS Paulista, de 21 de janeiro a 9 de fevereiro de 2020, e no IMS Rio, de 1 de fevereiro a 8 de março de 2020.

Programação IMS Paulista

Mire na viatura
Jusango taihisen yori: Sono gososha o nerae (1960, 84', 35 mm, 14 anos)
21/1, terça, às 21h15
25/1, sábado, às 16h

Fera adormecida
Kemono no nemuri (1960, 85', 35 mm, 14 anos)
22/1, quarta, às 19h
25/1, sábado, às 18h

Tudo vai mal
Subete ga kurutteru (1960, 72', 35 mm, 14 anos)
22/1, quarta, às 21h15
25/1, sábado, às 20h

Abaixo os vândalos
Kutabare gurentai (1960, 80', 35 mm, 14 anos)
23/1, quinta, às 19h
26/1, domingo, às 18h

Detetive Bureau 2-3
Tantei jimusho 23: Kutabare akuto-domo (1963, 89', 35 mm, 14 anos)
23/1, quinta, às 21h15
26/1, domingo, às 20h

A juventude da besta
Yaju no seishun (1963, 92', DCP, 16 anos)
24/1 sexta, às 21:15
1/2, sábado, às 21:50

Portal da carne (1964) explora o comércio do sexo no Japão destroçado do pós-guerra. © Janus Films
Portal da carne (1964) para muitos é a obra-prima absoluta de Suzuki, um grande tratado sobre a cor, a prostituição e o crime durante a ocupação americana no pós-guerra de um Japão destruído. © Janus Films

Portal da carne
Nikutai no mon (1964, 90', DCP, 14 anos)
21/1, terça, às 19h
2/2, domingo, às 20h

Nosso sangue não perdoa
Oretachi no chi ga yurusanai (1964, 97', 35 mm, 16 anos)
24/1, sexta, às 19h
1/2, sábado, às 16h

Cena de Tóquio Violenta (1966), filme que aborda a Yakuza, a temida máfia japonesa, é uma das obras mais delirantes de Suzuki, e talvez aquela em  que ele vai mais longe no uso da abstração e da cor em seu período na Nikkatsu. © 1966 Nikkatsu Corporation
Cena de Tóquio Violenta (1966), filme que aborda a Yakuza, a temida máfia japonesa, é uma das obras mais delirantes de Suzuki, e talvez aquela em que ele vai mais longe no uso da abstração e da cor em seu período na Nikkatsu. © 1966 Nikkatsu Corporation

Tóquio violenta
Tokyo nagare-mono (1966, 83', 35 mm, 14 anos)
28/2, terça, às 19h
1/2, sábado, às 18h

Elegia da briga
Kenka ereji (1966, 86', 35 mm, 16 anos)
28/2, terça, às 21h15
1/2, sábado, às 20h

Cena de A marca do assassino (1967), considerado o melhor filme da carreira de Seijun Suzuki, retrata o submundo do crime de Tóquio. © 1967 Nikkatsu Corporation
Cena de A marca do assassino (1967), considerado o melhor filme da carreira de Seijun Suzuki, retrata o submundo do crime de Tóquio. © 1967 Nikkatsu Corporation

A marca do assassino
Koroshi no rakuin (1967, 91', 35 mm, 16 anos)
29/1, terça, às 19h
2/2, domingo, às 16h

História de melancolia e tristeza
Hishu monogatari (1977, 91', 35 mm, 14 anos)
29/1, terça, às 21h15
2/2, domingo, às 18h

Cena de Zigeunerweisen (1980), primeiro filme da “trilogia de Taisho”, que faz referência ao Japão dos anos 1910-1920, e escolhido melhor filme japonês dos anos 1980 © Little More Co.
Cena de Zigeunerweisen, primeiro filme da “trilogia de Taisho” -- “Zigeunerweisen” (1980), “Kagero-za” (1981) e “Yumeji” (1991) – que faz referência ao Japão dos anos 1910-1920. Marcado pelo caráter onírico, foi escolhido melhor filme japonês dos anos 1980 © Little More Co.

Zigeunerweisen
Zigeunerweisen (1980, 144', 35 mm, 14 anos)
30/1, quinta, às 19h
8/2, sábado, às 15h

Kagero-za
Kagero-za (1981, 139', 35 mm, 14 anos)
31/1, sexta, às 19h
8/2, sábado, às 18h

Yumeji
Yumeji (1991, 128', 35 mm, 14 anos)
4/2, terça, às 19h
8/2, sábado, às 21h

Pistol Ópera
Pistol Opera (2001, 112', 35 mm, 14 anos)
5/2, quarta, às 19h
9/2, domingo, às 17h30

Princesa Guaxinim
Operetta tanuki goten (2005, 101', 35 mm, 14 anos)
6/2, quinta, às 19h
9/2, domingo, às 20h

IMS Paulista
Retrospectiva Seijun Suzuki
Data: 21 de janeiro a 9 de fevereiro de 2020
Avenida Paulista, 2424 (Metrô Brigadeiro)
Entrada gratuita. Sujeita à lotação.
Ingressos distribuídos uma hora antes de cada sessão. Uma senha por pessoa.

Programação IMS Rio

Mire na viatura
Jusango taihisen yori: Sono gososha o nerae (1960, 84', 35 mm, 14 anos)
1/2, sábado, às 16h
7/2, sexta, às 20h

Fera adormecida
Kemono no nemuri (1960, 85', 35 mm, 14 anos)
1/2, sábado, às 18h
11/2, terça, às 20h

Tudo vai mal
Subete ga kurutteru (1960, 72', 35 mm, 14 anos)
2/2, domingo, às 16h
11/2, terça, às 18h30

Abaixo os vândalos
Kutabare gurentai (1960, 80', 35 mm, 14 anos)
2/2, domingo, às 18h
12/2, quarta, 18h30

Detetive Bureau 2-3
Tantei jimusho 23: Kutabare akuto-domo (1963, 89', 35 mm, 14 anos)
4/2, terça, às 18h
15/2, sábado, às 16h

A juventude da besta
Yaju no seishun (1963, 92', DCP, 16 anos)
4/2, terça, às 20h
3/3, terça, às 20h

Portal da carne
Nikutai no mon (1964, 90', DCP, 14 anos)
5/2, quarta, às 20h
6/3, sexta, às 20h

Nosso sangue não perdoa
Oretachi no chi ga yurusanai (1964, 97', 35 mm, 16 anos)
6/2, quinta, às 20h
8/2, sábado, às 16h

Tóquio violenta
Tokyo nagare-mono (1966, 83', 35 mm, 14 anos)
8/2, sábado, às 18h
16/2, domingo, às 16h

Elegia da briga
Kenka ereji (1966, 86', 35 mm, 16 anos)
9/2, domingo, às 18h
16/2, domingo, às 18h

A marca do assassino
Koroshi no rakuin (1967, 91', 35 mm, 16 anos)
9/2, domingo, às 16h
15/2, sábado, às 18h

História de melancolia e tristeza
Hishu monogatari (1977, 91', 35 mm, 14 anos)
8/2, sábado, às 20h
14/2, sexta, às 20h

Zigeunerweisen
Zigeunerweisen (1980, 144', 35 mm, 14 anos)
7/3, sábado, às 16h30

Kagero-za
Kagero-za (1981, 139', 35 mm, 14 anos)
7/3, sábado, às 19h30

Yumeji
Yumeji (1991, 128', 35 mm, 14 anos)
8/2, domingo, às 19h

Pistol Ópera
Pistol Opera (2001, 112', 35 mm, 14 anos)
12/2, quarta, às 20h
15/2, sábado, às 19h45

Princesa Guaxinim
Operetta tanuki goten (2005, 101', 35 mm, 14 anos)
5/3, quinta, às 20h
8/3, domingo, às 16h30

IMS Rio
Retrospectiva Seijun Suzuki
Data: 1 de fevereiro a 8 de março de 2020
Rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea
Entrada gratuita. Sujeita à lotação.
Ingressos distribuídos 30 minutos antes de cada sessão. Uma senha por pessoa.

* Com informações do Instituto Moreira Salles

Veja também: