Segundo dados do Banco Central (BC), foram registrados US$ 293 milhões em transferências pessoais em setembro de 2020, o maior volume para o mês desde o início da série histórica, em 1995.

OrigemRemessas US$
(em milhões)
Participação
Estados Unidos147,250,2%
Reino Unido57,019,5%
Portugal17,05,8%
Espanha9,83,3%
Itália7,72,6%
Japão7,62,6%
Outros46,716,0%
Remessas pessoais do exterior em setembro/2020

As quantias enviadas por brasileiros no exterior convertidas em dólar aumentaram 20% em relação a setembro de 2019.

No acumulado do ano, foram enviados para residentes no Brasil o equivalente a US$ 2,4 bilhões, aumento de +12% em relação aos nove meses de 2019.

Os aumentos incluem a variação cambial de moedas estrangeiras frente ao dólar, que registra recuo de -5% no Dollar Index em 12 meses.

© Investing.com
O índice registra queda de -5% em 12 meses. Fonte/arte: © Investing.com

O Banco Central sugere que socorrer familiares em dificuldades e realizar investimentos para um possível retorno ao Brasil seriam os fatores dominantes para o crescente volume de remessas pessoais a partir de 2015 – o câmbio favorável estaria incentivando um maior volume dessas operações em 2020.

CâmbioVariação
12 meses
USD/BRL+40%
GBP/BRL+43%
EUR/BRL+50%
JPY/BRL+46%

Remessas para o exterior

No mês de setembro, as transferências pessoais para o exterior recuaram para US$ 128 milhões, queda de -19% na comparação com o mesmo mês de 2019. No acumulado do ano, as remessas atingiram US$ 1,1 bilhão, redução de -31% comparada ao período janeiro a setembro de 2019.

* Com informações do Banco Central do Brasil

Veja também:

Leitura recomendada: