A queda foi de 22% em relação ao mês anterior, março, e de 26% sobre abril de 2019.

Setor segurador (data de corte: 02/06/20). Fonte: © Conjuntura CNseg nº 23 - junho/2020
Setor segurador (data de corte: 02/06/20). Fonte: © Conjuntura CNseg nº 23 - junho/2020

A arrecadação de prêmios no mês foi de R$ 15,7 bilhões, a menor observada desde fevereiro de 2016, sem Saúde e DPVAT.

O segmento de Cobertura de Pessoas, que representa mais da metade da receita total, foi o que teve maior contribuição para a retração dos negócios em abril. Sua queda, de 29% sobre março, deveu-se às restrições à mobilidade, o que comprometeu o acesso aos postos de venda dos produtos.

No segmento de Danos e Responsabilidades, que responde por 37% de market share, a redução relativa foi de 9%. Neste segmento, os ramos que mais pesaram na desaceleração foram o de Responsabilidade Civil (-21%), Garantia Estendida (-17%), Automóveis (-14%) e Crédito e Garantias (-13%).

O segmento de Títulos de Capitalização foi igualmente alcançado, apresentando involução de -18%. Aqui também o comprometimento do funcionamento regular de agências bancárias e postos de serviços comprometeu os produtos.

* Com informações da Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg)

Veja também:

Leitura recomendada: