Cerca de 40% do lixo retirado do rio são materiais plásticos,  principalmente garrafas PET. O plástico que sai do Rio Pinheiros não pode ser reciclado porque está contaminado e precisa ser transportado para aterros sanitários.

O plástico que foi para o Rio Pinheiros no ano passado teria gerado renda de R$ 9,5 milhões se tivesse sido coletado, avalia Jair do Amaral, fundador e diretor-presidente da Federação Paulista de Cooperativas de Reciclagem.

“A partir do momento que o resíduo reciclável não tem a destinação correta, você deixa de gerar a economia da coleta seletiva. É um desperdício de recursos e você ainda reduz a possibilidade de geração de trabalho e renda”, disse Jair ao G1.

Segundo a Empresa Metropolitana de Águas e Energia (EMAE), que percorre os 25 quilômetros de extensão do curso d’água diariamente na coleta dos resíduos sólidos, “não há um único dia sequer que não há quantidade expressiva de lixo no Pinheiros”. Quase todo o lixo vem pelos córregos que desaguam no Rio Pinheiros.

O Programa Novo Rio Pinheiros busca reduzir o esgoto lançado nos afluentes e melhorar a qualidade das águas, viabilizando a volta de espécies aquáticas. Porém, a água não será potável e não será possível qualquer atividade esportiva ou de lazer.

* Com dados e informações do Portal do Governo de SP

Veja também: