"Os problemas de segurança alimentar global foram longamente discutidos. O presidente russo fez uma avaliação detalhada das causas da difícil situação no mercado mundial de produtos agrícolas e fertilizantes. Enfatizou a importância de restaurar a arquitetura do livre comércio de produtos alimentícios e fertilizantes que foi destruída pelas sanções ocidentais. Neste contexto, Vladimir Putin salientou que a Rússia está empenhada em cumprir suas obrigações de garantir o fornecimento ininterrupto de fertilizantes russos aos agricultores brasileiros", diz o comunicado.

O compromisso foi reforçado durante conversa telefônica entre o líder russo e o Presidente Jair Bolsonaro.

Durante evento no Palácio do Planalto, o presidente brasileiro confirmou a conversa com Putin, ressaltando que a questão da produção de alimentos e da segurança energética foram os principais assuntos discutidos.

O Brasil consome 8% de toda a produção mundial de fertilizantes, importando 85% do insumo usado pelo agronegócio, principalmente da Rússia.

Atualização 30/06/2022

A Rússia está pronta para atender a demanda de fertilizantes de produtores agrícolas de países amigáveis, disse o presidente Vladimir Putin, nesta quinta-feira (30), após conversações com o presidente indonésio Joko Widodo.

"Conversamos sobre assuntos de interesse por enquanto para todo o mundo, todos os países. Quero dizer, suprimentos de alimentos, outros bens agrícolas, incluindo fertilizantes minerais, para os mercados globais", disse o líder russo.

"Estamos prontos para satisfazer plenamente a demanda de produtores agrícolas da Indonésia e de outros Estados amigáveis por nitrogênio, fosfato, fertilizantes de potássio e matérias-primas para sua produção", disse Putin.

"Certamente pretendemos continuar executando de boa fé nossos compromissos contratuais com o fornecimento de alimentos, fertilizantes, juntamente com recursos energéticos e outros bens críticos", disse o presidente. É exatamente por isso que é fundamental restaurar cadeias de suprimentos interrompidas por sanções, acrescentou Putin.

* Com informações da TASS

Veja também: