Tradução não oficial. Fonte: The Kremlin, Moscow

Íntegra das declarações do Presidente da Rússia Vladimir Putin

Sr. Presidente, colegas,

Gostaria de começar agradecendo ao Presidente da República Federativa do Brasil, Jair Bolsonaro, por aceitar meu convite para vir à Rússia em uma visita oficial.

Esta é a primeira visita do Presidente à Rússia.

Deixe-me notar que as relações entre a Rússia e o Brasil têm sido tradicionalmente baseadas na amizade e na compreensão. A parceria estratégica entre os dois países inclui diversas áreas. Juntos, queremos desenvolver laços políticos, econômicos e culturais, e cooperar de perto no cenário global, na ONU, no BRICS, no G20, entre outros.

E hoje tivemos conversações bastante substantivas e construtivas. Após as conversações, adotamos uma declaração conjunta que estabelece as diretrizes para promover o desenvolvimento da cooperação russo-brasileira.

A visita do presidente brasileiro recebeu ampla cobertura da imprensa estatal russa.
A visita do presidente brasileiro recebeu ampla cobertura da imprensa estatal russa.

Nossos países estão definitivamente interessados em expandir progressivamente a interação econômica. O Brasil é um dos principais parceiros comerciais da Rússia na América Latina e no Caribe, representando um terço de todo o nosso comércio com essa região.

No ano passado, o comércio bilateral cresceu 87%, apesar das complicações relacionadas ao coronavírus. A comissão intergovernamental desempenha um papel importante no fortalecimento dos laços bilaterais de comércio e investimento. A última sessão foi realizada no outono do ano passado em Brasília. Na época, sob instruções pessoais do Presidente Bolsonaro, os principais ministros do governo brasileiro no setor econômico, responsáveis pela energia, pela indústria de mineração e pela agricultura, visitaram a Rússia.

Além disso, planejamos realizar em breve uma reunião da Comissão Russo-Brasileira de Alto Nível co-presidida pelo Primeiro-Ministro russo e pelo Vice-Presidente brasileiro.

Os Conselhos de Empresários Russo-Brasileiro e Brasileiro-Russo estão trabalhando bem juntos; eles agendaram uma série de reuniões de representantes empresariais para a atual visita do Presidente do Brasil, e hoje à noite o Sr. Bolsonaro falará com os líderes empresariais sobre esses conselhos.

Deixe-me enfatizar que o Brasil está sempre amplamente representado no Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (SPIEF). No ano passado, o Sr. Bolsonaro cumprimentou os participantes da sessão plenária da SPIEF por videoconferência, o que foi muito apreciado. Mais uma vez, gostaria de agradecê-lo, Senhor Presidente, pela sua atenção ao nosso evento em São Petersburgo.

Esperamos que o 25º fórum deste ano, marcado para os dias 15 e 18 de junho, contará com a presença de uma delegação de políticos, líderes empresariais e ativistas públicos brasileiros.

Observamos com satisfação que nossa cooperação industrial bilateral está se expandindo com sucesso. E gostaria de destacar os projetos envolvendo a empresa russa Power Machines para modernizar a indústria hidrelétrica brasileira, bem como os projetos da Severstal e AVISMA para fornecer componentes para indústrias brasileiras de alta tecnologia.

[N.E.: A estatal russa VSMPO-AVISMA é a maior produtora mundial de titânio e um fornecedor-chave de peças forjadas de ligas de titânio e produtos semiacabados para a indústria aeroespacial global, incluindo Embraer, Airbus e Boeing]

A Rosatom da Rússia exporta combustível para usinas nucleares brasileiras e radioisótopos para fins médicos. A Rosatom também está interessada em participar da construção de novas unidades de energia no Brasil, incluindo usinas nucleares de baixa capacidade, tanto terrestres quanto flutuantes, por possuir experiência única e extensa, e tecnologias que não estão disponíveis em outros lugares do mundo.

A cooperação na indústria química e a produção de fertilizantes minerais ambientalmente corretos estão progredindo em um bom ritmo. Em 2021, as empresas russas forneceram quase 10 milhões de toneladas de fertilizantes no valor de cerca de US$ 3,5 bilhões ao mercado brasileiro.

A Roscosmos e a Agência Espacial Brasileira estão trabalhando na implementação do acordo de cooperação na Constelação de Satélites de Sensoriamento Remoto do BRICS. Três estações GLONASS já foram construídas no Brasil, além de um detector óptico-eletrônico de detritos orbitais, e há acordos para implantar duas estações adicionais.

A cooperação russo-brasileira em medicina e medicamentos vem ganhando força ultimamente. Nossas empresas ChemRar e BIOCAD atuam na promoção de coronavírus e medicamentos contra o câncer no mercado brasileiro. Um projeto para localização da fabricação de vacinas Sputnik V no Brasil está sendo implementado com o apoio do Fundo Russo de Investimento Direto.

Durante nossas conversas com o Presidente Bolsonaro, naturalmente discutimos as questões de interação cultural. Concordamos em continuar promovendo intercâmbios bilaterais de educação, cultura e esportes.

Por exemplo, uma série de iniciativas estão sendo trabalhadas agora para que a Rússia participe das comemorações do Bicentenário da Independência do Brasil em setembro.

Vou mencionar também que a Rússia presta assistência ao Brasil no treinamento de pessoal. Temos cerca de 400 estudantes brasileiros na Rússia, cerca de 80 dos quais estão estudando sem mensalidades.

Uma escola intercultural russo-brasileira foi aberta recentemente no Rio de Janeiro, onde são ministradas aulas em Russo e Português. Você também deve lembrar que uma escola de Teatro Bolshoi funciona há mais de 20 anos na cidade brasileira de Joinville. Mais de 250 jovens de diferentes áreas do Brasil e de outros países da América Latina treinam nesta escola única, a única do gênero fora da Rússia.

Ao compartilhar opiniões sobre questões regionais e globais, as partes afirmaram que as posições da Rússia e do Brasil sobre muitas questões são próximas ou sobrepostas. Os Ministérios das Relações Exteriores e da Defesa mantêm contato. Na verdade, os Ministros das Relações Exteriores e da Defesa dos dois países tiveram sua primeira reunião no formato 2+2 em Moscou esta manhã.

Nossos países defendem o desenvolvimento de uma ordem mundial multipolar baseada no direito internacional com o papel central de coordenação da ONU. Diante disso, estamos firmemente comprometidos com o princípio do multilateralismo e com a solução político-diplomática dos conflitos.

Tendo em vista o status do Brasil como membro não permanente do Conselho de Segurança da ONU entre 2022 e 2023, estamos dispostos a buscar nossa interação de forma mais intensa em todas as questões atuais da agenda da ONU.

E, é claro, continuaremos a cooperar com nossos parceiros brasileiros dentro do BRICS – uma respeitada associação internacional que detém um lugar importante no mundo multipolar contemporâneo e desempenha um papel importante na economia global.

Para concluir, gostaria de agradecer ao Sr. Bolsonaro pela nossa reunião. Acredito que as conversações de hoje servirão para fortalecer ainda mais as relações russo-brasileiras em benefício dos nossos dois povos.

E, finalmente, Senhor Presidente, sei do desastre de ontem no Brasil: chuvas fortes causaram destruição e tiraram vidas. Quero expressar minhas condolências a você e a todas as pessoas do Brasil por esta tragédia e desejar uma rápida recuperação aos feridos.

Obrigado por sua atenção.

Íntegra das declarações do Presidente do Brasil Jair Bolsonaro

Sr. Presidente,

Conversamos por quase duas horas; a agenda foi extensa e de grande interesse para ambos os países. Sou grato a você por suas condolências. Pessoas em Petrópolis e no Rio de Janeiro foram afetadas por esse desastre natural. Obrigado.

Senhor Presidente, compartilhamos valores comuns: fé em Deus e proteção dos valores familiares. Estamos solidários com todos os países que buscam e fazem tudo o que podem para alcançar a paz.

Trabalhamos juntos em organismos internacionais como o BRICS, o G20 e a ONU, onde defendemos o direito soberano das nações à autodeterminação em consonância com a Carta das Nações Unidas e o direito internacional.

Observamos o retorno do comércio bilateral aos níveis pré-pandemia. O Brasil é um grande player na agricultura e estamos satisfeitos em ver que há interesse no fornecimento de fertilizantes russos. Vimos também interessados em nossos produtos de origem animal.

Temos grande potencial para desenvolver a cooperação na área de petróleo, dos derivados de petróleo e gás natural. Estamos nos esforçando para fortalecer nosso diálogo de alto nível sobre a exploração e produção de petróleo de reservas em águas profundas. Estamos interessados em pequenas usinas nucleares.

[N.E.: provavelmente se referindo a Advanced Small Modular Reactors (SMRs)].

Temos o prazer de notar a realização das primeiras consultas político-militar entre nossos Ministros das Relações Exteriores e da Defesa.

Estamos muito felizes que a Amazônia faz parte do Patrimônio da Humanidade e somos gratos a você por suas palavras em defesa da nossa soberania. Muito obrigado.

O Presidente Putin e eu consideramos muito importante os esforços para criar uma nova dinâmica na aliança tecnológica entre Brasil e Rússia. Estamos prestando atenção significativa à nanotecnologia, biotecnologia, TI [Tecnologia da Informação] e pesquisa médica.

Brasil e Rússia têm as maiores florestas do mundo e decidimos estabelecer um diálogo sobre proteção florestal.

Nosso encontro de quase duas horas, repito, foi muito produtivo. Mostra que duas grandes potências têm um enorme potencial de progresso em benefício de nossas nações.

Deixe-me repetir que o mundo é nosso lar e Deus está acima de nós. Defendemos a paz e estamos prontos para apoiar todos aqueles que fazem o mesmo. Nós apoiamos todos.

Sr. Putin, muito obrigado pelas calorosas boas-vindas, pelas questões que discutimos na reunião de hoje e pela confiança depositada em nosso País.

Muio obrigado.

Veja também: