Os dados fazem parte do relatório preliminar Mercado Cinematográfico 2022 (*), publicado pela Agência Nacional do Cinema (ANCINE) no Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual (OCA). O levantamento enfatiza o quadriênio 2019/2022, dimensionando o impacto no setor provocado pela covid-19

Após dois anos fortemente comprometidos pela pandemia, o mercado de exibição em salas de cinema apresentou uma recuperação notável em 2022: na comparação com 2021, houve um crescimento de 82% no público (95,1 milhões) e de 87,9% na renda real (R$ 1,8 bilhão).

 Público e renda de longas-metragens exibidos em salas de cinema (em milhões) - 2019 a 2022
Público e renda nominal de longas-metragens exibidos em salas de cinema (em milhões) - 2019 a 2022

No entanto, em comparação com 2019, os números de 2022 representam uma queda de -46,5% no público e de -46,9% na renda real.

Renda atualizada pelo IPCA (em milhões) - 2019 a 2022
Renda atualizada pelo IPCA (em milhões) - 2019 a 2022

O total de sessões cinematográficas realizadas em 2022 está mais próximo do patamar de 2019 (-15,4%) do que os números de bilheteria (-46,5%).

 Variação de público e de sessões realizadas em relação a 2019
Variação de público e de sessões realizadas em relação a 2019

O parque exibidor brasileiro encerrou 2022 com cerca de 3.401 salas abertas – um crescimento de 4,1% em relação a 2021. O número é próximo daquele de 2019 (3.507). O desafio do parque exibidor em 2023 será confirmar a retomada da trajetória de crescimento ininterrupto do número de salas, que já vinha durando 10 anos até a eclosão da crise em 2020.

Evolução das salas de exibição – 2019 a 2022
Evolução das salas de exibição – 2019 a 2022

Panorama de mercado 2022

Público dos longas-metragens exibidos, por nacionalidade da obra (em milhões) - 2019 a 2022
Público dos longas-metragens exibidos, por nacionalidade da obra (em milhões) - 2019 a 2022

Em 2022, o mercado cinematográfico no País foi mais uma vez dominado pelos grandes sucessos internacionais, destacando-se Doutor Estranho no multiverso da loucura (público de 8,3 milhões); Minions 2: A origem de Gru (6,9 milhões); e Avatar: O caminho da água (6,7 milhões).

Total de público dos longas-metragens exibidos em 2022 pelo número de dias de exibição
Total de público dos longas-metragens exibidos em 2022 pelo número de dias de exibição

As obras nacionais representaram apenas 4,2% do público de 2022, número modesto, mas ainda assim superior ao de 2021, quando o market share de público dos filmes brasileiros foi de apenas 1,7%.

Sem lançamentos com mais de um milhão de público, os cinco filmes brasileiros de maior sucesso em 2022 oscilaram entre 390-540 mil espectadores, audiência distante do último grande êxito nacional de bilheteria, Minha mãe é uma peça 3, lançado no final de 2019.

Total de público dos longas-metragens brasileiros exibidos em 2022 pelo número de dias de exibição
Total de público dos longas-metragens brasileiros exibidos em 2022 pelo número de dias de exibição

A expectativa da ANCINE para 2023 é que lançamentos nacionais de maior apelo comercial, ocupando circuitos mais robustos, resultem no aumento da participação relativa dos filmes brasileiros na bilheteria total dos cinemas.

Considerando-se apenas a distribuição de filmes brasileiros, a protagonista foi a Downtown, com um público acumulado de 1,4 milhão (e renda de R$ 24,3 milhões). A Paris Filmes, que em 2021 foi responsável por 78,4% do público dos filmes nacionais, caiu para segundo lugar, com 1 milhão de público e R$ 18,4 milhões de renda.

Distribuidoras que alcançaram maior público em 2022 - Longas-metragens brasileiros
Distribuidoras que alcançaram maior público em 2022 - Longas-metragens brasileiros

(*) Utilizando dados do Sistema de Controle de Bilheteria (SCB), atualizados diariamente pelas empresas exibidoras, o estudo apurou as sessões de longa-metragem realizadas em salas de cinema com funcionamento regular, cobrança de ingresso, sessões de caráter público e outras que tenham resultado na obtenção de renda. Também foram utilizados dados obtidos no Sistema de Acompanhamento da Distribuição em Salas de Exibição (SADIS) relativos às empresas responsáveis pela distribuição das obras, além das datas de lançamento, e do Sistema ANCINE Digital (SAD). Foram consideradas apenas obras exibidas nos anos cinematográficos de referência (independentemente de seu ano de lançamento).

Veja também: