Não é a primeira vez que o Presidente se manifesta a favor da  privatização da estatal. Em abril, ele havia autorizado estudos para a  desestatização da companhia.

A manifestação ocorre um dia depois  do plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) ter decidido liberar a  venda do controle acionário de subsidiárias de empresas públicas e  sociedades de economia mista sem aval do Legislativo. A venda sem  autorização do Congresso Nacional não vale, contudo, para empresas as  matrizes, como é o caso dos Correios.