Durante debate com a candidata presidencial Ana Gomes, na RTP, Marcelo descartou uma solução de apenas serem confinados os cidadãos de grupos de risco.

"Essa ideia não tem dado em nenhum sítio da Europa. A Europa toda está a reconfinar globalmente mais do que Portugal e há mais tempo do que Portugal", sustentou.

Segundo o chefe de Estado, em relação ao período do Natal, "todos os partidos" se pronunciaram a favor de uma atenuação das medidas e alguns deles até a favor de um regime "mais permissivo".

"A decisão teve os efeitos que teve. Na altura falei de um pacto de confiança com os portugueses. Mas o pacto de confiança não funcionou. É um fato", disse o Presidente. Logo após o Ano Novo, os números de novos casos de infecção que então chegavam "eram baixos, mas havia já a sensação de que chegariam depois números bem mais elevados".

Média móvel de 7 dias de óbitos diários em Portugal por covid-19

Questionado sobre a possibilidade dos estabelecimentos de ensino continuarem funcionando, ao contrário do que aconteceu em abril passado, Marcelo Rebelo de Sousa disse que "essa matéria ainda vai ser decidida".

Em relação à situação epidemiológica de Portugal, Marcelo disse que a vacinação é "um processo que pode ser para um ano e meio e não para o dia seguinte".

Programa de vacinação da União Europeia tem início lento. Reprodução: © The Spectator
Programa de vacinação da União Europeia tem início lento. Reprodução: © The Spectator

* Com informações do Jornal de Negócios, RTP, Lusa

Veja também: