A previsão está alinhada com a hipótese levantada por Levitt que a pandemia do coronavírus SARS-CoV-2 causa um aumento de 8-10% nas mortes anuais, frente aos modelos que previam 12 meses de mortes em excesso, o que jamais aconteceu em parte alguma do mundo.

Número de óbitos registrados em 2018 de pessoas entre 15 e 84 anos; média mensal em 2018. Fonte: IBGE
Número de óbitos registrados em 2018 de pessoas entre 15 e 84 anos; média mensal em 2018. Fonte: IBGE

O cientista descobriu há meses que os modelos preditivos da pandemia, que orientaram a maioria dos governos, estão errados e desde então tem afirmado, em entrevistas e nas redes sociais, que os decretos de lockdown são "um grande erro".

Na semana passada, Levitt postou um artigo científico (Predicting the Trajectory of Any COVID19 Epidemic From the Best Straight Line), documentando os estudos que vinha realizando desde o início do ano e sugerindo que pode ser possível prever quando um surto terminará.

Fonte: Michael Levitt. Reprodução © Twitter/@MLevitt_NP2013
Fonte: Michael Levitt. Reprodução © Twitter/@MLevitt_NP2013

Em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (1º), o Secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo de Medeiros, declarou que há uma estabilização na curva de óbitos em função da Covid-19.

“No Brasil, embora os números de óbitos sejam elevados, desde a semana epidemiológica 22 o número de mortes tem se mantido relativamente constante. Aumenta um pouco, diminui um pouco", disse Medeiros.

Bad "science"

Na segunda-feira (29), Levitt, que recebeu o Prêmio Nobel de Química em 2013, participou, através de videoconferência, de um painel do Lindau Nobel Laureate Meetings, conferências científicas trienais realizadas em Lindau, Baviera, Alemanha, desde 1951, reunindo laureados com o Nobel e jovens cientistas para promover o intercâmbio científico.

No debate Corona – The Role of Science in Time of Crisis, no qual participaram os também laureados Peter C. Doherty (Nobel Medicina, 1996) e Saul Perlmutter (Física, 2011), Michael Levitt criticou duramente a "ciência" da epidemiologia e a arrogância de seus cientistas, e defendeu que apenas a Suécia acertou em não ter decretado lockdown, estratégia que devastou as economias dos países, destruindo empresas e empregos, e causando mais óbitos que a própria Covid-19.

O erro foi que ouvimos os epidemiologistas, disse Levitt.

Leitura recomendada:

Veja também: