Para atender a determinação da autoridade de saúde municipal foi suspensa parte da construção do gasoduto Rota 3 e da unidade de processamento de gás. Diante de tal situação, a companhia informa que o cronograma das obras será reavaliado.

O Projeto Integrado Rota 3 implementa a terceira rota de escoamento para o gás natural do Pré-sal. O projeto é composto pela Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) que terá capacidade de processar até 21 milhões de m³ por dia.

Além da UPGN, o projeto contempla a construção de um gasoduto com aproximadamente 355 km de extensão total, sendo 307 km de trecho marítimo – já construído – e 48 km de trecho terrestre, que está em construção, e escoará o gás natural do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos até a UPGN de Itaboraí.

O Comperj, o fracassado complexo petroquímico do Rio de Janeiro dos tempos de um Brasil recente, resultou em um prejuízo de US$ 14 bilhões à Petrobras e não existe mais. Além de mudar o seu escopo — agora será uma fábrica de lubrificantes e uma termelétrica que atuarão como uma extensão da Reduc — a companhia resolveu rebatizar o empreendimento, passando a se chamar GasLub Itaboraí.

Plataformas à venda

A Petrobras está suspendendo a operação de 62 das suas plataformas em campos de águas rasas das bacias de Campos, Sergipe, Potiguar e Ceará.

Dessas plataformas, 80% operam sem pessoal. Os empregados que atuam nas demais serão realocados para outras unidades, com opção de adesão ao Plano de Desligamento Voluntário (PDV) da companhia.

A empresa esclarece que as plataformas que serão desativadas “não apresentam condições econômicas para operar com preços baixos de petróleo e são ativos em processos de venda”. Há duas semanas, a cotação do barril do tipo Brent chegou a US$ 20, o menor nível em 18 anos.

* Com informações da Petrobras, O Globo

Veja também: