No Ensino Superior, dos 21.715 universitários de Administração em busca de uma oportunidade de estágio, 18 mil (83,4%) foram reprovados. A situação não é diferente entre os formandos em Direito (85,8% desclassificados) e Engenharia (73,3%), mostra a pesquisa do Nube, organização responsável pela aplicação de provas para mais de 14 mil empresas em todo País.

Os matriculados em Letras têm como uma das principais bases de ensino a língua portuguesa. Mesmo assim, 85,5% foram reprovados em Português. Cerca de 79,5% dos futuros jornalistas também não atingiram o mínimo para serem contratados. Em Pedagogia, que tem como missão capacitar as crianças do País, 93,5% dos graduandos foram desclassificados.

Entre os 6,3 mil estudantes do Ensino Médio, 89% não passaram na prova.

“A análise realizada pelo Nube é composta por uma série de instrumentos. Dentre os principais, estão os exames de Português e raciocínio lógico e a avaliação comportamental. Para o saldo ser fidedigno, é indispensável considerar todas as ferramentas necessárias. Quanto à prova gramatical, o candidato responde algumas questões verificando a ortografia e interpretação. Durante o processo seletivo, inclusive, esse critério será considerado por meio da fala e, em alguns casos, pode ser aplicada uma redação”, explica Helenice Resende, coordenadora de recrutamento e seleção do Nube.

Helenice enfatiza que assimilar as regras, possuir boa interpretação e redação é imprescindível, enquanto uma boa conversação fornece elementos para o recrutador avaliar as qualidades e potencial de cada aspirante à colocação.

“É vital apresentar uma boa comunicação e utilizar o Português correto, além de aproveitar o tempo da seleção para demonstrar seu potencial, suas competências, bem como se portar de maneira adequada ao ambiente, com vestimenta, postura e comportamento condizentes com o contexto empresarial”.

Os erros de Português no currículo também são responsáveis por eliminar candidatos que, por esse motivo, podem nem chegar a ser chamados para uma entrevista, apontou levantamento feito pela Catho no ano passado.

Veja também: