Atualização 09/03 - Subiu para 31 o número de casos confirmados de covid-19, dos quais 23 são na Região Norte.

As autoridades de saúde a ordenaram o fechamento de todas as escolas, publicas e privadas de Felgueiras e Lousada.

“Tendo em conta a circunscrição de maioria destes casos aos concelhos de Felgueiras e Lousada, afetando também instituições escolares, a evidência apoia o fecho preventivo de todas as escolas”, lê-se num comunicado da Direção-Geral de Saúde, divulgado este domingo (8) à noite.

“Estudos comparativos em circunstâncias de epidemia mostram que o fecho preventivo tem maior efeito quando comparado com o reativo”, explica a DGS na mesma nota, assinada por Graça Freitas.

No comunicado, justificam a medida pelo papel que as crianças têm como transmissoras de doença, ainda que no caso de serem portadoras os seus quadros sejam ligeiros a moderados quando comparado com o de adultos.

O Primeiro-Ministro, António Costa, garantiu hoje (7) que Portugal está preparado para o surto de coronavírus e reiterou a confiança no Serviço Nacional de Saúde (SNS) e nos seus profissionais de saúde.

António Costa salientou que o Governo tem os planos de contingência preparados para  ir adotando "as medidas à medida do estritamente necessário" e, neste momento "impunha-se adotar estas medidas" — como o fechamento de estabelecimentos de ensino e a suspensão de visitas a lares de idosos, hospitais e prisões na região Norte — para evitar o risco de contaminação mais ampla.

"Não foram adotadas [medidas] para outros estabelecimentos porque não se justificou. Se se vier a justificar claro que teremos que adotar",  declarou aos jornalistas, no Porto.

"Nós temos de ir acompanhando a par e passo. Até agora tem sido possível fazer o rastreamento da origem destas situações — há um foco grande que teve origem em Milão e que depois se tem disseminado — há novos focos de infecção e, portanto, conforme eles forem verificando e se forem desenvolvendo nós temos de adotar as medidas para conter o seu desenvolvimento", afirmou António Costa.

O JN sabe que um dos três jovens infectados é um rapaz de 19 anos, de Felgueiras, que estuda História na UMinho. A namorada, que também estará infectada, estuda na Faculdade de Farmácia e tem aulas no edifício do ICBAS. A origem destas duas infecções pode ser o tio do jovem, o dono da fábrica "Calçado Fego-Fla", de Lousada, que esteve na feira de calçados de Milão, Itália.

A Escola Básica e Secundária de Idães, em Felgueiras, o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar e a Faculdade de Farmácia, ambos pertencentes à Universidade do Porto, assim como vários edifícios do campus de Gualtar da Universidade do Minho, em Braga, foram fechados de modo a evitar a propagação.

"Foi determinado o encerramento por 14 dias das instalações do complexo de edifícios ICBAS/FFUP (Rua Jorge de Viterbo Ferreira, Porto)", segundo um comunicado da Universidade do Porto (UP). Com a medida cautelar, pretende-se "minimizar o risco de disseminação na comunidade académica".

O polo de Gualtar da Universidade do Minho, em Braga, foi fechado por tempo indeterminado bem como todos os edifícios partilhados como bares, cantina, biblioteca e espaços desportivos. As aulas do curso de Medicina que decorriam fora do campus, em hospitais e centros de saúde também foram suspensas.

A decisão de encerrar o campus de Gualtar foi tomada ontem à noite mas hoje (8) o reitor explicou as medidas a tomar. Para além da suspensão das aulas por tempo indeterminado, a atividade da Universidade do Minho será "severamente reduzida". O recurso ao teletrabalho "é uma das possibilidades a explorar", admitiu o Reitor Rui Vieira de Castro, reconhecendo que a Universidade do Minho não tem condições técnicas para assegurar aulas através da Internet.

Entre alunos, funcionários, professores e pesquisadores, circulam diariamente mais de 12 mil pessoas pelo campus. Vieira de Castro solicitou a redução ao mínimo de eventos de natureza acadêmica, como seminários e encontros. As atividades que envolvam um grande número de participantes deverão ser reduzidas “ao mínimo essencial”. Já todas as pessoas que estiveram em países onde há casos conhecidos devem submeter-se a um período de quarentena.

Dois centros hospitalares de outras regiões, o Hospital do Espírito Santo, de Évora, e o Centro Hospitalar de Leiria – que integra também unidades de saúde em Pombal e Alcobaça – anunciaram restrições às visitas.

Já o Hospital de S. João, no Porto, e o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, anunciaram a montagem de hospitais de campanha, para evitar o contato dos pacientes suspeitos de infecção com os demais doentes que utilizam os hospitais.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, enalteceu este sábado (7) a forma "madura, tranquila e serena" como os portugueses estão reagindo ao coronavírus e elogiou os profissionais de saúde envolvidos no combate ao surto.

O Presidente disse que “à medida que seja necessário e na proporção do que seja necessário, o Governo tomará as medidas que deve tomar para conter [o surto], porque as próximas semanas, para não dizer os próximos dias ou as próximas horas, são em todos os países, nomeadamente na Europa, muito importantes para garantir que se atinge o pico e se começa a descer do pico máximo do surto, tanto quanto se pode prever isso. E isso implica, naturalmente, medidas de contenção", destacou Rebelo de Sousa.

Questionado sobre a hipótese de fechamento de fronteira, o Primeiro-Ministro António Costa disse que o Governo nunca tomará medidas isoladas dos outros países da União Europeia. "Até agora nenhum país considerou necessário haver essas medidas de encerramento das fronteiras e esperemos que não venham a ser necessárias", disse.

Atualização 08/07: A Câmara Municipal de Felgueiras, em reunião de emergência na noite de sábado (7), decidiu fechar todos os equipamentos municipais, caso das piscinas, biblioteca e jardins-de-infância na freguesia de Idães. Durante a reunião, que além da presença do executivo municipal de Felgueiras e das Comissões Municipais contou com a presença de todos os eleitos na Assembleia Municipal, foi ainda solicitado à autarquia pelas corporações de bombeiros do concelho - Felgueiras e Lixa  - que faça um pedido à Associação Regional de Saúde para que estes realizem apenas os transportes urgentes e necessários de doentes.

Lombardia bloqueada

O Governo italiano prepara-se para, a partir deste domingo (8) e até 3 de Abril, impor restrições severas de circulação na região da Lombardia, afetando 16 milhões de moradores. A legislação irá impedir a entrada e saída das áreas demarcadas, enquanto os movimentos internos serão permitidos apenas para situações inadiáveis. Eventos públicos, cerimônias religiosas e reuniões serão suspensas.

* Com informações do Publico.pt, JN

Veja também: