Em relação a igual período do ano anterior, o Produto Interno Bruto (PIB) caiu -3,9% no terceiro trimestre de 2020, a terceira queda consecutiva.

Variação da produção do terceiro trimestre de 2020 comparada ao mesmo período de 2019. Fonte/arte: IBGE
Variação da produção do terceiro trimestre de 2020 comparada ao mesmo período de 2019. Fonte/arte: IBGE

Em valores correntes, o PIB do terceiro trimestre de 2020 totalizou R$ 1,891 trilhão, sendo R$ 1,627 trilhão (-3,7%) em Valor Adicionado (VA) a preços básicos e R$ 264 bilhões (-5,1%) em Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios.

Indicadores
PIB AGRO INDUS SERV FBCF FAM GOV
3º trimestre 2020/2019 -3,9% +0,4% -0,9% -4,8% -7,8% -6,0% -5,3%
Acumulado 4 trimestres -3,4% +1,8% -3,5% -3,5% -4,0% -4,1% -3,7%
Valor corrente (bilhões de reais) 1.891 105 354 1.200 306 1.200 371
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Contas Nacionais

A Despesa de Consumo das Famílias caiu pelo terceiro trimestre seguido (-6,0%).

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) caiu -7,8% no terceiro trimestre de 2020. A magnitude deste recuo é justificada pela queda na produção e importação de bens de capital, assim como pela queda na Construção (-7,9%).

No setor externo, as Exportações de Bens e Serviços caíram -1,1% e as Importações de Bens e Serviços caíram -25,0% no terceiro trimestre de 2020.

No acumulado do ano até o terceiro trimestre de 2020, o PIB caiu -5,0% em relação a igual período de 2019. Nesta comparação, a Agropecuária cresceu +2,4%, enquanto a Indústria (-5,1%) e os Serviços (-5,3%) registraram queda.

Variação da produção acumulada nos três trimestres de 2020 frente ao mesmo período de 2019. Fonte/arte: IBGE
Variação da produção acumulada nos três trimestres de 2020 frente ao mesmo período de 2019. Fonte/arte: IBGE

Apesar da insistência do Ministro da Economia Paulo Guedes em apostar em retomada em V da economia brasileira, o PIB dos Estados Unidos não está se recuperando em V, e nem mesmo o da China, sugerindo que a recuperação em alguns setores não assegura uma mudança definitiva de cenário.

Não apenas o setor de Serviços, que representa 73,5% do PIB brasileiro  (Indústria, 21,4%; Agropecuária, 5,1%), deve demorar a se recuperar, como a economia já vinha apresentando um crescimento pífio antes da pandemia — retornar aos níveis anteriores não chega a ser recuperação de tendência animadora.

* Com informações do IBGE

Veja também: