Atualização 12/08 - O Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido registrou queda de -20,4% no segundo trimestre, em comparação com os três meses anteriores. O setor de serviços registrou queda de -20% no trimestre, enquanto o setor de construção caiu -35%. As indústrias de produção caíram -17%.

Em comparação com o segundo trimestre de 2019, a economia do Reino Unido recuou -21,7%.
Atualização 14/08 -  O IBC-Br, índice do Banco Central de atividade econômica, registrou queda de -12% no 2º trimestre de 2020 em comparação com o mesmo período de 2019.
Atualização 28/08 - Nesta sexta-feira (28), o Tesouro Nacional aumentou para R$ 4,9 trilhões o teto da Dívida Pública Federal (DPF) para o fim de 2020 devido aos gastos extras com a pandemia.

O Produto Interno Bruto (PIB) da Suécia no segundo trimestre de 2020 caiu -8,6% em comparação com os três meses anteriores, de acordo com uma estimativa da Statistics Sweden publicada nesta quarta-feira (5), significativamente melhor do que a contração de -12% experimentada na zona do euro no mesmo período.

Na comparação anual, o PIB sueco estimado do trimestre recuou -8,2% comparado ao segundo trimestre de 2019, enquanto a economia da zona do euro caiu -15% na mesma comparação.

Fonte/arte: © Eurostat
O declínio trimestral foi o pior da história moderna da Suécia, superando a queda de 3,8% no quarto trimestre de 2008, durante a crise financeira. Mas a economia sueca obteve desempenho melhor que a maioria dos países da Europa. Fonte/arte: © Eurostat

A Suécia esteve sob forte crítica internacional porque rejeitou a estratégia de lockdown como forma de combater a propagação do vírus que causa a Covid-19.

O país se recusou a seguir o resto da Europa, mantendo suas escolas, parques, lojas, restaurantes, casas noturnas e fronteiras abertas, enquanto pedia que as pessoas trabalhassem em casa.

Depois de ser um dos poucos países europeus a obter um crescimento positivo no primeiro trimestre de 2020, a Suécia continuou a ser uma exceção em abril, maio e junho – o pico da primeira onda na Europa.

David Oxley, economista da Capital Economics, disse ao Financial Times que a contração mostrou que a Suécia não estava "imune à Covid", mas na crise econômica do primeiro semestre "está em uma liga totalmente diferente dos espetáculos de horror em outras partes da Europa".

Por várias semanas, a Suécia teve a maior taxa de mortalidade per capita na Europa. Mas sua taxa de mortalidade per capita agora fica atrás de vários países que impuseram lockdowns rigorosos, como Bélgica, Espanha e Reino Unido.

Nesta quarta-feira, os economistas do banco sueco SEB aumentaram sua previsão para o PIB da Suécia este ano para uma queda de -4%, ante -5% anteriormente.

* Com informações do The Financial Times

Veja também:

Leitura recomendada: