O novo estudo irá monitorar a segurança e eficácia de uma terceira dose em duas faixas etárias: 18-55 e 65-85.

Os 144 participantes vêm de um grupo de voluntários entre os primeiros a receber a vacina Pfizer-BioNTech nos Estados Unidos, pessoas que se ofereceram para o ensaio clínico inicial de Fase 1/2 da Pfizer, que começou em maio.

Durante esse ensaio, os participantes receberam duas doses da vacina com três semanas de intervalo. A terceira dose será administrada entre seis a 12 meses após os participantes terem recebido o regime inicial de duas doses.

“Acreditamos que a terceira dose elevará a resposta de anticorpos de 10 a 20 vezes”, disse o CEO da Pfizer, Albert Bourla, durante uma entrevista à NBC.

A FDA disse aos desenvolvedores na segunda-feira (22) para se prepararem para novas variantes do vírus, incluindo o teste de vacinas modificadas naqueles que já foram injetados e naqueles que não foram.

Na quinta-feira, a Pfizer anunciou que conduzirá testes clínicos para uma formulação modificada da Comirnaty contra a variante sul-africana.

Bourla disse que o objetivo da empresa, se e quando outra variante surgir, é reformular a vacina em 100 dias.

* Com informações da NBC

Veja também: