A Polícia Federal (PF) nesta terça-feira (22) deu cumprimento a sete mandados de busca e apreensão, expedidos pela 10ª Vara Criminal Federal de São Paulo, em decorrência de Inquérito Policial que apura direcionamento e superfaturamento na venda de ventiladores pulmonares para o Estado de São Paulo.

Os mandados foram cumpridos pela PF nas cidades de São Paulo, Porto Feliz/SP, Rio de Janeiro e Brasília.

Conforme investigação da PF em andamento, a gestão João Doria adquiriu 1.280 ventiladores pulmonares fabricados na China, com intermediação feita pela Hichens Harrison & Co., empresa com sede na Flórida (EUA) e que tem sócios brasileiros. O contrato teria sido firmado por dispensa de licitação, pelo valor de US$ 44 milhões (R$ 242.247.000), em abril de 2020.

Segundo o Delegado Adauto Machado, a empresa que vendeu os ventiladores pulmonares ao governo paulista só existe no papel.

Apesar da aquisição não ter sido feita com recursos federais, a corporação assumiu o caso mediante suspeita de lavagem internacional de ativos.

"Além da  fraude no procedimento aquisitivo, os indícios também sugerem a ocorrência de lavagem de dinheiro por meio de tipologia em que a empresa intermediária, que recebe os valores do governo contratante, envia uma parcela para pagamento de vantagens indevidas e outra parcela para pagamento do fornecedor do produto", explica nota da Polícia Federal em São Paulo.

As buscas fazem parte da primeira fase da Operação Dragão e têm por objetivo a coleta de outros elementos da ocorrência dos delitos em apuração, além de possível crime de associação criminosa, corrupção passiva e corrupção ativa.

* Com informações da Comunicação Social da Polícia Federal em São Paulo

Veja também: