A Petrobras registrou prejuízos de US$ 290 milhões no terceiro trimestre deste ano, naquele que é o terceiro resultado negativo seguido da companhia. No mesmo trimestre de 2019, a empresa obteve lucro de US$ 2,3 bilhões.

Fonte/arte: © Petrobras
Principais indicadores. ** índice calculado utilizando o endividamento em dolares. Fonte/arte: © Petrobras

Na comparação 3T20/3T19, a companhia informa que o Brent caiu 30,6% e o dólar valorizou 35,5% frente ao real.

As receitas da empresa, calculadas em dólar médio de trimestre, somaram US$ 13,1 bilhões no 3T20, queda de 32% comparadas a US$ 19,4 bilhões do 3T19.

EBITDA Ajustado E&P US$/boe x Brent. Fonte/arte: © Petrobras
EBITDA Ajustado E&P US$/boe x Brent. Fonte/arte: © Petrobras

O EBITDA (earnings before interest, taxes, depreciation and amortization) ajustado aumentou 45% em dólares no 3T20 em relação ao 2T20, explicado, majoritariamente, pelo aumento do preço do Brent (+47%).

O EBITDA ajustado recuou 25% em dólares no 3T20 em relação ao 3T19.

A companhia reduziu a dívida bruta de US$ 89,9 bilhões, em 30 de setembro de 2019, para US$ 79,6 bilhões, em 30 de setembro de 2020.

Maximizar valor

A Petrobras alertou em relatório que continuará reduzindo os investimentos.

Investimentos. Fonte/arte: © Petrobras
Investimentos. Fonte/arte: © Petrobras

"Dada  a escassez de capital e a necessidade de reduzir nossa dívida para US$ 60 bilhões, os projetos devem competir por recursos. Apenas aqueles resilientes a um preço médio de US$ 35/boe [barril de óleo equivalente] foram aprovados. Como consequência, nossos números de capex [capital expenditure] para os próximos anos serão menores. Nosso objetivo é maximizar valor, não maximizar produção", diz o relatório. "No 3T20, revisamos nosso portfólio de E&P [Exploração e Produção] à luz das novas premissas de preços divulgadas em maio. Isso resultou em um novo capex para 5 anos (2021-2025) entre uma faixa de US$ 40 a 50 bilhões, em oposição aos US$ 64 bilhões do Plano Estratégico 2020-2024, com as principais reduções no capex exploratório e não em ativos do pré-sal, alguns dos quais serão alienados".

Atualização 30/10

A ExxonMobil anunciou seu terceiro prejuízo trimestral consecutivo e alertou sobre prejuízos "significativos" nos próximos meses, reporta o FT nesta sexta-feira (30).

A companhia registrou prejuízo líquido de US$ 680 milhões nos três meses até setembro, ante um lucro de US$ 3,2 bilhões no mesmo período do ano passado.

As receitas de US$ 46 bilhões representam queda de 30% em relação ao terceiro trimestre de 2019.

A Exxon planeja reduzir as despesas de capital para US$ 23 bilhões este ano – um terço a menos do que o planejado originalmente – e reduzir as despesas operacionais em 15%. Os cortes continuarão em 2021, com o investimento previsto caindo para US$ 16 bilhões no próximo ano. A empresa anunciou na quinta-feira planos para reduzir sua força de trabalho em 14.000 empregos até o final de 2020.

As empresas de todo o setor enfrentaram dificuldades após a queda dos preços no início deste ano. A Chevron, rival da Exxon, registrou na sexta-feira um prejuízo de US$ 207 milhões no mesmo período, em comparação com um lucro de US$ 2,6 bilhões.

* Com informações da Petrobras, The Financial Times

Veja também: