De acordo com o prospecto de oferta, o campo de Albacora tem 500 km2 de área de licença, em lâmina d'água que varia de 100 a 1.050 metros, localizada a 110 km do Cabo de São Tomé, no litoral norte do Estado do Rio de Janeiro. O campo produziu em agosto, em média, 43 mil barris de óleo equivalente por dia (Mboe/d).

Já Albacora Leste tem 550 km2 de área de licença e está em lâmina d'água de 1.000 a 2.150 metros. A média de produção em agosto foi de 38 Mboe/d.

© ScotiaBank
© ScotiaBank

Está sendo oferecida a totalidade da participação da petrolífera nas concessões de Albacora (100%) e Albacora Leste (90%).

(1) Albacora: média diária em agosto de 2020. Albacora Leste: parcela da Petrobras (90%) da média diária. © ScotiaBank
(1) Albacora: média diária em agosto de 2020. Albacora Leste: parcela da Petrobras (90%) da média diária. © ScotiaBank

Segundo Carlos José Travassos, Gerente-Executivo de Águas Profundas, a venda das participações estão alinhadas com a estratégia de direcionar esforços e investimentos em ativos com maior potencial de geração de valor.

"O desinvestimento que a gente está fazendo é longe de ser um movimento de saída da Petrobras da Bacia de Campos. Muito pelo contrário, nossos planos para a Bacia não são nada tímidos", disse.

A meta da Petrobras é focar os investimentos nos grandes reservatórios do pré-sal que já estão em desenvolvimento.

“A revisão do portfólio está de acordo com as premissas de preço divulgadas nos resultados do primeiro trimestre. Além disso, foram consideradas as seguintes diretrizes: (a) foco na desalavancagem, atingindo a meta de dívida bruta de US$ 60 bilhões em 2022; (b) foco na resiliência, priorizando projetos com breakeven de preço de Brent de no máximo US$ 35/barril e aderentes à estratégia da companhia e; (c) revisão de toda a carteira de investimentos e desinvestimentos”, informa nota da empresa divulgada no dia 15.

Buscando reduzir sua dívida, a Petrobras planeja desinvestir de 20 bilhões a 30 bilhões de dólares nos próximos cinco anos.

De acordo com dados divulgados junto com os resultados do segundo trimestre, a companhia já vendeu sete ativos em 2020, levantando um total de R$ 2,3 bilhões.

* Com informações da Agência Brasil, ScotiaBank

Veja também: