Divulgação/MAP Linhas Aéreas
Foto: Divulgação/MAP Linhas Aéreas

Dos sete novos destinos, seis não tinham acesso ao aeroporto de Congonhas (apenas Ribeirão Preto já possuía). São polos importantes, com mais de 1 milhão de habitantes cada, destaca Eduardo Busch, CEO da Passaredo.

Ribeirão Preto terá o maior número de voos, oito por dia, por ser o hub da companhia aérea.

“Vislumbramos praticamente dobrar as operações com a entrada em Congonhas. Passaredo e MAP já dobraram de tamanho com a aquisição e, agora, Congonhas vai virar um catalisador para as nossas empresas. Essa pujança do mercado regional trará um desenvolvimento muito grande para o interior de São Paulo e estados vizinhos”, afirmou Felício Filho.

Três dos seis  aviões da MAP estão sendo remanejados da região norte para operar em Congonhas e três outras novas aeronaves serão incorporadas até o fim do  ano, elevando a frota da Passaredo de 5 aviões para 14 no total.

As operações da MAP, nos estados do Amazonas e Pará, seguem  independentes.

“Vamos gerar 180 novos empregos  diretos, 100 funcionários para operar em terra e 80 tripulantes entre  pilotos e comissárias”, diz Eduardo Busch.

A Passaredo projeta que o total de passageiros transportados pela empresa após a entrada em Congonhas chegará a 1,5 milhão, ante os atuais 800 mil.

A MAP detém 0,1% do mercado doméstico. A Passaredo possui 0,3% de participação.

A malha de voos combinada das duas companhias atende 35 destinos.

Slots

Em julho de 2019, em reunião extraordinária, a Anac mudou as regras de redistribuição dos slots de Congonhas, “o aeroporto mais lucrativo da América Latina”, segundo o CEO da Passaredo.

Pela regra anterior, Gol e Latam receberiam slots e a Azul estaria impedida. Na nova regra, temporária, Gol e Latam foram impedidas e a Azul desimpedida. Dias depois, a Anac contemplou Azul, Passaredo e MAP com a redistribuição dos slots (horários autorizados para pouso ou decolagem) da pista principal de Congonhas operados pela Avianca.

A Passaredo recebeu 14 slots e a MAP, 12. A Azul ganhou 16 slots que, somados aos 26 que já detinha, possibilitou a empresa operar na ponte-aérea Congonhas - Santos Dumont (RJ).

Já a Passaredo, comprou 100% da MAP, assegurando 26 slots no aeroporto da capital paulista, fortalecendo os planos de expansão da aérea, que tem em seu histórico uma recuperação judicial, finalizada em 2017.

“Estamos voltando ao tamanho de quatro anos atrás, mas não vamos ter as  dores do crescimento porque já fomos maiores do que seremos”, disse  Busch.

Voos da Passaredo/MAP utilizando o Aeroporto de Congonhas

Origem Destino Horários
CGH – Congonhas Ribeirão Preto, SP 08h15 • 09h50 • 17h30 • 20h30
Bauru, SP 07h25 • 11h25 • 17h25
Dourados, MS 12h40 • 21h40
Marília, SP 09h00
Araçatuba, SP 12h55
Uberaba, MG 21h30
Macaé, RJ 14h25
 
Ribeirão Preto, SP CGH – Congonhas 07h00 • 09h50 • 11h15 • 19h55
Bauru, SP 09h20 • 12h55 • 19h25
Dourados, MS 07h00 • 17h45
Marília, SP 10h50
Araçatuba, SP 15h25
Uberaba, MG 06h10
Macaé, RJ 18h25
Total de slots 26

* Com informações do Governo do Estado de São Paulo e do Estadão

Veja também: