O Papa aparecer na janela é um ritual profundamente arraigado na tradição romana, com inúmeras famílias participando a cada semana.

Segundo o Vaticano, o Papa cancelou suas aparições regulares em público para evitar que aglomerações para vê-lo possam propagar a infecção por coronavírus.

A decisão "foi necessária para evitar os riscos de disseminação da Covid-19 ligados à formação de aglomerações durante os controles de acesso à Praça São Pedro", afirmou o Vaticano. A audiência semanal do Papa nas quarta-feiras "ocorrerá nas mesmas condições".

Pela primeira vez, o Papa Francisco realizará sua oração dominical através de vídeo e streaming, e não em público.

"A oração do Ângelus ocorrerá na biblioteca do Palácio Apostólico e não na Praça de São Pedro", diz o comunicado.

O Papa aparecer na janela é um ritual profundamente arraigado na tradição romana que atrai multidões ao Vaticano. Reprodução; © Youtube/ABC
O Papa aparecer na janela é um ritual profundamente arraigado na tradição romana e atrai multidões ao Vaticano. Reprodução: © Youtube/ABC

O Ângelus e as audiências públicas representam uma grande atração para os peregrinos e turistas que vêm a Roma, ansiosos para ver o Papa.

Ontem (6), o Vaticano confirmou o primeiro caso de coronavírus, um funcionário.

Segundo o porta-voz Matteo Bruni, a Direção de Saúde e Higiene do Vaticano aplicou “todos os protocolos de saúde previstos”.

O pontífice chegou a fazer o teste para a doença, mas o resultado deu negativo. O Papa Francisco não possui parte de um pulmão, removida em uma cirurgia quando tinha cerca de 20 anos, em Buenos Aires, depois de um episódio de tuberculose, de acordo com o biógrafo Austen Ivereigh.

Por precaução, o Papa Francisco, de 83 anos, está recolhido na Casa Santa Marta, residência oficial. Já o Papa Emérito Bento XVI, de 92 anos, terá visitas reduzidas.

O Vaticano também suspendeu até o dia 15 de março catecismos dos sacramentos para a primeira comunhão, cursos de preparação para o casamento, retiros e exercícios espirituais, peregrinações e atividades paroquiais em geral. ​

Na Itália, onde a Cidade do Vaticano está situada, há cerca de 6.000 casos confirmados de infecção e 250 mortes registradas por coronavírus. As autoridades italianas planejam estender as áreas de quarentena para controlar a epidemia.

O líder do segundo maior partido do governo de coalizão da Itália revelou neste sábado (7) ter contraído Covid-19.

"Estou bem e ficarei em casa pelos próximos dias", disse Nicola Zingaretti, 54, em uma rede social.

* Com informações do South China Morning Star, Poder360, Folha de S.Paulo

Veja também: