Esse é o quarto mês consecutivo que o emprego  formal cresceu no país, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e  Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta-feira (23) pelo Ministério da Economia.

O  bom desempenho da construção civil na criação de vagas foi influenciado  pela demanda de mão de obra para a construção de rodovias e ferrovias,  principalmente em Minas Gerais e no Pará. Também pela construção de  edifícios, especialmente em São Paulo e Pará.

As  obras de geração e distribuição de energia elétrica e telecomunicações,  em Minas Gerais e na Bahia, também demandaram muitos trabalhadores com carteira assinada.

A região Sudeste foi a que mais criou  trabalho formal, seguida pelo Centro-Oeste, Norte, Nordeste e Sul. A  maioria das vagas foi aberta em São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso do  Sul. Já os estados que mais fecharam vagas foram: Espírito Santo, Rio  Grande do Sul e Rio de Janeiro.

Do saldo positivo de 44  mil empregos formais, mais de cinco mil foram contratos de trabalho intermitente. No regime de tempo parcial, houve expansão de 740 vagas.