A declaração da Organização Mundial de Saúde (OMS) ocorre em meio aos avisos da entidade sobre “a persistente desigualdade na distribuição global de vacinas”, com o organismo internacional de saúde afirmando que os passaportes covid apenas promoveriam ainda mais a desigualdade da liberdade de movimento.

A OMS recomenda que os países imponham medidas de quarentena para viajantes internacionais e introduzam “abordagens coordenadas, limitadas no tempo, baseadas em risco e baseadas em evidências para medidas de saúde”.

As preocupações sobre a desigualdade que seria causada pelo uso de passaportes covid foram provocadas por nações mais ricas que compraram vacinas, enquanto os demais países ficaram sem doses suficientes para vacinar sua população com eficácia.

Atualização 18/05

A empresa de segurança cibernética Check Point revelou que identificou mais de 1.000 vendedores online de certificados falsos de vacinação contra coronavírus, oferecendo o documento falsificado por cerca de US$ 30.

Atualização 14/07/2021

Os israelenses que foram vacinados tem 7 vezes mais probabilidade de serem infectados após a imunização do que após a infecção natural.

Pacientes com coronavírus que se recuperaram do vírus tem muito menos probabilidade de serem infectados durante a última onda da pandemia do que pessoas que foram vacinadas contra o novo coronavírus, de acordo com números apresentados ao Ministério da Saúde de Israel.

Os dados do Ministério da Saúde sobre a onda de surtos que começou em maio deste ano mostram que os israelenses com imunidade à infecção natural são muito menos propensos a se infectar novamente em comparação com os israelenses que só tinham imunidade por vacinação.

Mais de 7.700 novos casos do vírus foram detectados durante a onda mais recente, mas apenas 72 dos casos confirmados foram relatados em pessoas que já haviam sido infectadas anteriormente – ou seja, menos de 1% dos novos casos.

Aproximadamente 40% dos novos casos – ou mais de 3.000 pacientes – foram de pessoas infectadas apesar de terem sido vacinadas com duas doses.

A descoberta contradiz diretamente o Dr. Fauci, juntamente com a Pfizer e Moderna, que insistem que os anticorpos criados por suas vacinas são mais poderosos do que os anticorpos produzidos por infecção natural, uma das razões apontadas para os recuperados de infecção pelo vírus serem vacinados.

* Com informações da Organização Mundial de Saúde (OMS), Arutz Sheva

Leitura recomendada:

Veja também: