Após adotar uma estratégia criticada por vários países, acadêmicos, intelectuais, e sofrer pressão da própria Organização Mundial da Saúde (OMS), a Suécia foi citada por Michael Ryan, diretor executivo da OMS e especialista em saúde emergencial, como “modelo de combate [à Covid-19]”.

“Há uma percepção de que a Suécia não criou medidas de controle e deixou a doença se disseminar, mas isso não poderia estar mais longe da verdade”, afirmou Ryan.“[O país] criou uma política pública muito dura de distanciamento social baseada em cuidar e proteger pessoas internadas. O que houve de diferente foi a confiança na cidadania e a habilidade individual dos cidadãos de se imporem o distanciamento social e os devidos cuidados [contra a infecção]”, afirmou o médico em coletiva.

Saiba mais: O que fez a Suécia de diferente?

“Se não queremos uma sociedade que necessite de lockdowns, devemos olhar para a Suécia como representante de um modelo [de ação]”, complementou Ryan.

Leitura recomendada:

Veja também: