"Os preços lá estão crescendo, mas não por nossa culpa. Este é o resultado de seus próprios erros de cálculo. Eles não devem nos culpar por isso", disse Putin.

"O mesmo se aplica ao aumento dos preços do petróleo e dos produtos petrolíferos nos Estados Unidos. Eles anunciaram que estavam fechando a importação de petróleo russo para o mercado americano, os preços lá são altos, a inflação é sem precedentes alta, provavelmente atingiu máximas de todos os tempos. Eles estão tentando transferir a culpa pelos resultados de seus próprios erros sobre nós", disse o líder russo.

Segundo Putin, é um fato óbvio para especialistas do mercado, "porque o fornecimento de petróleo russo para o mercado americano não excede 3%".

"Este é um volume insignificante, e seus preços estão subindo. Não temos absolutamente nada a ver com isso, e mesmo aqui a proibição das importações russas de petróleo não tem absolutamente nada a ver com isso. Eles apenas se escondem atrás dessas decisões para mais uma vez enganar sua própria população", disse Putin.

A Rússia produz diariamente mais de 11 milhões de barris de petróleo e exporta 5 milhões de barris por dia. O volume importado de petróleo russo pelos Estados Unidos é de apenas 200 mil barris diários.

O líder russo chamou a atenção para o fato de que os EUA estão tentando negociar com  países aos quais Washington já impôs "sanções ilegítimas".

"Eles estão prontos para fazer as pazes com o Irã, assinar imediatamente todos os documentos, e com a Venezuela. Eles foram à Venezuela para negociar, mas não deveriam ter introduzido essas sanções ilegítimas", disse Putin.

"O mesmo acontecerá nas relações com o nosso país, não tenho dúvidas disso".

Atualização 04/04/2022

Os Estados Unidos aumentaram suas compras de petróleo russo em 43% entre 19 e 25 de março, de acordo com dados da Administração de Informações sobre Energia (EIA). Apesar da proibição da Casa Branca de importações de energia da Rússia, os EUA continuam a comprar até 100.000 barris de petróleo russo por dia.

Veja também: