"Com base nas tendências econômicas e de mercado atuais, o consumo global de carvão deve subir 0,7% em 2022 para 8 bilhões de toneladas, assumindo que a economia chinesa se recupere como esperado no segundo semestre do ano", diz o relatório Coal Market Update de julho de 2022.

"Esse total global corresponderia ao recorde anual estabelecido em 2013, e a demanda de carvão provavelmente aumentará ainda mais no próximo ano para um novo recorde de todos os tempos", acrescenta.

"Embora o petróleo e o gás natural estejam recebendo grande parte da atenção, os mercados de carvão também estão enfrentando tumultos significativos, com implicações importantes para muitos países onde o carvão continua sendo um combustível fundamental para a geração de eletricidade e uma série de processos industriais. Ao mesmo tempo, a contínua queima de grandes quantidades de carvão no mundo está aumentando as preocupações climáticas, já que o carvão é a maior fonte única de emissões de dióxido de carbono (CO2) relacionadas à energia", destaca a publicação.

O consumo mundial de carvão cresceu cerca de 6% em 2021, à medida que a economia global se recuperou rapidamente do choque inicial da pandemia.

O crescimento acentuado contribuiu significativamente para o maior aumento anual das emissões globais de CO2 relacionadas à energia em termos absolutos, colocando-as em seu nível mais alto da história, diz comunicado à imprensa da agência.

A IEA também analisou a recente evolução dos preços do carvão, atenta à crescente segmentação dos mercados de carvão por região e qualidade.

De acordo com a agência, a demanda global de carvão está sendo sustentada este ano pelo aumento dos preços do gás natural, que intensificaram a troca de gás para carvão em muitos países, inclusive com reabertura de usinas a carvão, bem como o crescimento econômico da Índia.

Evolução dos preços do gás natural na Zona Euro (01/2021 a 07/2022). Fonte/arte: © Bloomberg
Evolução dos preços do gás natural na Zona Euro (01/2021 a 07/2022). Fonte/arte: © Bloomberg

A demanda por carvão na Índia tem sido forte desde o início do ano e deve aumentar 7% em 2022 à medida que a economia do país cresce e o uso de eletricidade se expande.

Esses fatores estão sendo parcialmente compensados pela desaceleração do crescimento econômico na China e pela incapacidade de alguns grandes produtores de carvão de aumentar a produção, observa o comunicado.

Na China, estima-se que a demanda de carvão tenha diminuído 3% no primeiro semestre de 2022, à medida que os lockdowns em algumas cidades desaceleraram o crescimento econômico, mas um aumento esperado no segundo semestre do ano provavelmente levará o consumo de carvão para o ano inteiro de volta aos mesmos níveis do ano passado, prevê a IEA.

China e Índia consomem juntos o dobro da quantidade de carvão que o resto do mundo combinado, com a China sozinha representando mais da metade da demanda mundial, destaca o relatório.

O consumo de carvão na União Europeia (UE) deve aumentar 7% em 2022, além do salto de 14% do ano passado, impulsionado pela demanda do setor elétrico, onde o carvão está sendo cada vez mais usado para substituir o gás, que está em falta e tem experimentado enormes aumentos de preços após a crise da Ucrânia.

"Vários países da UE estão estendendo a vida útil das usinas de carvão programadas para fechamento, reabrindo usinas fechadas ou aumentando o limite de suas horas de operação para reduzir o consumo de gás. No entanto, a Europa representa apenas cerca de 5% do consumo global de carvão", ressalta a agência.

A IAE acrescenta que os mercados de carvão permanecerão apertados em 2023.

"À medida que o aumento dos preços do gás natural tornou o carvão mais competitivo em muitos mercados, os preços internacionais do carvão subiram, atingindo três picos de todos os tempos entre outubro de 2021 e maio de 2022. As sanções e proibições do carvão russo interromperam os mercados, e questões em outros grandes exportadores contribuíram para a escassez de suprimentos", lembra a publicação.

"Com produtores de carvão enfrentando restrições na substituição da produção russa, os preços nos mercados futuros de carvão indicam que as condições apertadas do mercado devem continuar no próximo ano e além", prevê a IAE.

* Com informações da International Energy Agency (IEA)

Veja também: