É verdade que o glúten faz mal à saúde?

Não.  O glúten não faz mal à saúde. Não há qualquer pesquisa, estudo  ou  mesmo testes científicos conclusivos que indiquem que o glúten –   elemento encontrado em cereais como trigo, cevada e centeio –  prejudique  o desenvolvimento ou funcionamento do organismo de  indivíduos normais e  saudáveis.

Quando consumido de maneira  correta e equilibrada, o glúten, ao  chegar ao intestino delgado, ajuda  na proliferação e renovação das  bactérias “do bem”, que auxiliam na  digestão alimentar.

Quando é necessário adotar uma dieta restritiva de glúten?

A  dieta restritiva, ou seja, que elimina totalmente o glúten da   alimentação, só é necessária para quem apresenta algum tipo de reação  ao  seu consumo, tais como: pessoas com doença celíaca (DC) ou pessoas  com  intolerância ao glúten.

Não comer alimentos com glúten emagrece?

Não  há dados que comprovem que uma pessoa que deixe de ingerir  alimentos  com glúten tenha perda de peso considerável, incluindo os  pacientes  celíacos.

Quais os principais alimentos do dia a dia que contém glúten?

  • Trigo e todos os seus derivados;
  • Centeio e derivados;
  • Cevada e derivados;
  • Sorvetes industrializados;
  • Embutidos;
  • Molhos para salada;
  • Aveia.

Se  você tem doença celíaca, é essencial ler atentamente os  rótulos nas  embalagens dos alimentos antes de comprá-los. Além disso,  antes de  comer qualquer coisa fora de casa, se informe sobre os  ingredientes do  que escolher.

Para quem quer perder peso ou simplesmente deseja  ter uma reeducação  alimentar, é importante, sempre, procurar orientação  de um profissional.  Um médico de sua confiança poderá solicitar exames  de rotina para  avaliar como anda a sua saúde e, em conjunto com um  nutricionista,  montar uma dieta equilibrada de acordo com as suas  necessidades.

https://www.pfizer.com.br/noticias/O-gluten-faz-mal-para-a-saude-ou-nao

Referências

Declaração de Posicionamento da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição sobre Dieta sem Glúten

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas Doença Celíaca Portaria SAS/MS nº 1149, de 11de novembrode 2015