Em 2015, a cidade de New York começou a instalar quiosques que permitem à população ter Wi-Fi gratuito num raio próximo, carregar baterias de celulares e fazer chamadas gratuitas dentro dos EUA, e esse foi o declínio final das cabines.

Numa pequena cerimônia para assinalar o fim de um símbolo, o presidente do distrito de Manhattan, Mark Levine, não se deixou levar pela nostalgia, dizendo que as cabines telefônicas fizeram sofrer todos por igual.

Recordou os muitos aparelhos mudos, as cabines que engoliram moedas sem dar sinal e as longas filas à espera de um telefone livre.

Os hotspots Wi-Fi deverão ter tecnologia 5G neste verão americano.