A densidade média de robôs na Ásia / Austrália é de 134 unidades, na Europa 123 unidades e nas Américas 111 unidades.

Número de robôs por 10.000 trabalhadores na indústria de manufatura em 2020. Fonte/Arte: © World Robotics 2021
Número de robôs por 10.000 trabalhadores na indústria de manufatura em 2020. Fonte/Arte: © World Robotics 2021

Ásia

A Coreia do Sul é o país com a maior densidade de robôs do mundo na indústria de manufatura, posição que ocupa desde 2010. A taxa coreana excede a média global sete vezes (932 unidades por 10.000 trabalhadores). A densidade dos robôs aumentou em média 10% a cada ano desde 2015. A economia do país é baseada nas duas maiores áreas de robôs industriais: manufatura de eletrônicos e automotiva.

Cingapura ocupa o segundo lugar no ranking global com uma taxa de 605 robôs por 10.000 trabalhadores em 2020. A densidade de robôs de Cingapura tem crescido 27% em média a cada ano desde 2015.

O Japão é o terceiro no ranking: em 2020, 390 robôs estavam em operação para cada 10.000 operários na indústria japonesa de manufatura. O país é o maior fabricante mundial de robôs industriais, respondendo por 45% do fornecimento global – a produção atingiu 174.000 robôs em 2020.

O desenvolvimento da densidade de robôs na China é o mais dinâmico em todo o mundo. A taxa de densidade aumentou de 49 unidades em 2015 para 246 unidades em 2020 – em 5 anos, a China saltou da 25ª para a 9ª posição do ranking global.

América do Norte

A densidade de robôs nos Estados Unidos aumentou de 176 unidades em 2015 para 255 unidades em 2020. O país ocupa o sétimo lugar no mundo – à frente de Taiwan (248) e da China (246). A modernização das instalações de produção domésticas impulsionou as vendas de robôs nos Estados Unidos. O uso de robôs industriais também ajuda a atingir metas de descarbonização, por ex. na produção econômica de painéis solares e na contínua transição para veículos elétricos. Vários fabricantes de automóveis anunciaram investimentos para remodelar suas fábricas para fabricar novos modelos de carros com tração elétrica ou para aumentar a capacidade de produção de baterias, criando a expectativa de um aumento na demanda por robôs industriais nos próximos anos.

Europa

O país mais automatizado da Europa é a Alemanha, ocupando a 4ª posição mundial com 371 unidades por 10.000 operários. O fornecimento anual teve uma participação de 33% das vendas totais de robôs na Europa em 2020 – 38% dos robôs industriais em operação na Europa estão na Alemanha. A indústria de robótica alemã está se recuperando, principalmente impulsionada por fortes negócios no exterior, e não pelo mercado doméstico ou europeu. Espera-se que a demanda por robôs na Alemanha cresça lentamente, principalmente devido à demanda por robôs de baixo custo nas indústrias em geral e fora da manufatura tradicional. A França tem uma densidade de robôs de 194 unidades (16º lugar no ranking mundial), o que está bem acima da média global de 126 robôs e alinhada com outros países da União Europeia, como Espanha (203 unidades), Áustria (205) ou Holanda (209), enquanto Suécia (289 unidades), Dinamarca (246) e Itália (224) têm um grau significativamente maior de automação no segmento de manufatura.

Com 101 unidades e ocupando o 24º lugar, o Reino Unido é o único país do G7 com densidade de robôs abaixo da média mundial. Em 2015, a densidade de robôs do Reino Unido era de 71 unidades. O êxodo de mão de obra estrangeira aumentou a demanda por robôs em 2020 e a modernização da indústria manufatureira está sendo impulsionada por incentivos fiscais massivos até março de 2023.

* Com dados e informações da International Federation of Robotics (IFR)

Veja também: