Através do Disque 160, a população poderá tirar dúvidas sobre sintomas e quando é o momento certo de buscar uma unidade de saúde.

São 50 postos de atendimento, podendo dobrar a capacidade de acordo com a demanda, e está prevista a abertura de 54 postos em outras localidades.

Logo após o lançamento, o serviço já havia recebido mais de 500 ligações.

O Secretário Estadual de Saúde, Edmar  Santos, avalia que o projeto tem grande importância para contenção dos casos do coronavírus (SARS-CoV-2) no Rio de Janeiro.

“A Central é importantíssima nesse momento e servirá para esclarecer dúvidas dos profissionais de saúde e indicar quais pacientes devem procurar atendimento, de preferência em unidades próximas às suas residências, reduzindo deslocamentos", disse Santos. "Além disso, a Central funcionará ainda como mais um canal de combate às fake news”.

O Governador do Estado do RJ, Wilson Witzel, destacou que o objetivo é acelerar as ações, a fim de evitar a propagação do vírus.

“O teleatendimento faz parte desse plano de contingenciamento. É um serviço essencial para que a população fluminense possa ter acesso a informações seguras sobre o que é o novo coronavírus, as formas de prevenção e o que é preciso fazer em caso de sintomas”, disse Witzel.

O serviço é uma iniciativa da Secretaria de Estado de Saúde (SES) em parceria com Proderj, PMERJ e Hospital Universitário Pedro Ernesto.

A população também pode esclarecer dúvidas nos sites da SES:

* Com informações do Governo do Estado do Rio de Janeiro e Agência Brasil

Veja também: