O cruzeiro de 7 dias partiu de New Orleans em 28 de novembro e fez escalas em Honduras, Belize e México. Havia mais de 3.200 pessoas a bordo.

O navio deve chegar a New Orleans na manhã de domingo (6), de acordo com a programação da operadora.

A Norwegian Cruise Line emitiu um comunicado afirmando que todos os casos identificados envolveram pessoas sem sintomas da doença.

Cada passageiro e membro da tripulação será submetidos a testes. A pessoa que apresentar resultado positivo para a infecção terá que entrar imediatamente em quarentena, seja em casa ou em acomodação fornecida pela empresa de cruzeiro.

"A saúde e segurança de nossos hóspedes, tripulação e comunidades que visitamos é nossa maior prioridade, e continuaremos a tomar todas as medidas adequadas para garantir seu bem-estar e proteger a saúde pública", disse um porta-voz da Norwegian Cruise Line.

A empresa disse que não há mudanças planejadas para as viagens futuras do Norwegian Breakaway, e que o navio está programado para partir novamente no domingo à noite.

Grandes surtos

O CDC emitiu uma ordem de proibição de cruzeiros em março de 2020, levando a uma paralisação das viagens que terminou apenas em junho deste ano.

Entre 26 de junho e 21 de outubro, o CDC identificou 1.357 infecções por SARS-CoV-2 em navios de cruzeiro.

A agência destacou o que descreveu como “grandes surtos”, mas não identificou os navios ou rotas.

  • 21 infectados - em 24 de julho de 2021, um passageiro sintomático com teste positivo para covid-19 em um navio de cruzeiro (navio de cruzeiro A) foi epidemiologicamente vinculado a 20 casos adicionais de covid-19 em duas viagens, incluindo 2 passageiros e 18 tripulantes.
  • 58 infectados - entre 24 de julho e 28 de agosto, um navio de cruzeiro (Navio de cruzeiro B) relatou 58 casos de covid-19 confirmados em laboratório entre passageiros e tripulantes.
  • 13 infectados - entre 29 e 31 de julho de 2021, três passageiros sintomáticos testaram positivo para covid-19 em um navio de cruzeiro (Cruzeiro C). O rastreamento de contato e o teste identificaram 12 casos adicionais de covid-19 confirmados em laboratório, incluindo 10 passageiros e 2 tripulantes.
  • 105 infectados - entre 19 de agosto e 7 de setembro, um navio de cruzeiro (Cruise Ship E) relatou 105 casos covid-19 confirmados em laboratório entre passageiros e tripulantes em um total de quatro viagens consecutivas.
  • 112 infectados - entre 21 de agosto e 7 de setembro, um navio de cruzeiro (Cruise Ship F) relatou um total de 112 casos covid-19 confirmados em laboratório entre passageiros e tripulantes em quatro viagens consecutivas.

Atualização 20/12/2021

No sábado (18), quarenta e oito pessoas a bordo do Royal Caribbean Symphony of the Seas, o maior navio de cruzeiro do mundo, testaram positivo para SARS-CoV-2, o vírus que causa a covid-19, após retornar de uma viagem de uma semana.

"Todos os resultados positivos foram assintomáticos ou apresentavam sintomas leves", informou um comunicado da Royal Caribbean. "Cada pessoa entrou rapidamente em quarentena".

A política de embarque da Royal Caribbean exige que todos os adultos sejam vacinados com pelo menos duas doses de Pfizer ou Moderna ou uma dose da vacina Johnson & Johnson. O surto representa 0,8% dos 6.091 passageiros e tripulantes que deixaram Miami em 11 de dezembro e navegaram para os portos caribenhos de St. Maarten, St. Thomas e para a ilha particular da Royal Caribbean, CocoCay. O navio de cruzeiro voltou ao porto de Miami em 18 de dezembro.

Atualização 28/12/2021

Nesta terça-feira (28), a Bloomberg publicou que o CDC está investigando 86 navios de cruzeiro para surtos de SARS-CoV-2. Desses, 32 são Carnival, 25 Royal Caribbean e 15 Norwegian. Quatro da Disney Cruise Line estão sob vigilância.

Os navios de cruzeiro estavam sendo vistos como uma das férias mais seguras, devido às suas rígidas políticas de saúde de permitir apenas adultos vacinados, além da característica de isolamento de focos de SARS-CoV-2. No entanto, como as vacinas não previnem a transmissão do vírus, ocorreu exatamente o contrário, e as empresas de cruzeiros estão sendo atacadas, assim como aconteceu em 2020, confirmando que não houve virtualmente qualquer progresso em conter a disseminação do vírus da covid-19.

O Senador Richard Blumenthal (D-CT) disse que os operadores de navios de cruzeiro estão "repetindo a história recente como placas de petri da infecção".

"É hora do CDC e as linhas de cruzeiro protegerem os consumidores e mais uma vez pausar – atracando seus navios", disse Blumenthal em rede social.

Atualização 31/12/2021

O MSC Splendida terá seu cruzeiro interrompido devido ao surto de SARS-CoV-2 entre passageiros e tripulantes. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu nesta sexta-feira (31) o comunicado da empresa sobre o cancelamento e confirmou a interrupção da viagem.

Foram identificados 51 tripulantes e 27 passageiros com a infecção. O navio de cruzeiro está atracado no Porto de Santos desde quarta-feira (29).

A Anvisa determinou mais cedo a interrupção do cruzeiro do Costa Diadema, que está atracado em Salvador. O navio iniciou a viagem no Porto de Santos e teria como próximo destino o porto de Ilhéus, na Bahia. As informações apontam 68 casos de infecção – 56 entre tripulantes e 12 entre passageiros. O navio de cruzeiro tem 3.836 viajantes a bordo, sendo 1.320 tripulantes, e a determinação é que a embarcação retorne ao Porto de Santos para o desembarque de todos.

Veja também: