“Com base nas mais recentes projeções apresentadas no Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, não trabalhamos com a hipótese de racionamento tendo em vista todas as medidas que estão sendo tomadas desde outubro de 2020”, disse o Ministro durante um evento sobre comércio exterior.

Bento Albuquerque destacou os 11 leilões realizados, oito de geração e três de transmissão de energia.

“Somente nos últimos certames, foram investidos R$ 40 bilhões, resultando em uma expansão bastante expressiva, em torno de 13% na geração e 15% na transmissão, fundamental neste momento de escassez hídrica”.

Albuquerque disse que o governo procura diversificar a matriz energética brasileira para acompanhar a demanda.

O Plano Decenal de Energia 2030 projeta um acréscimo de cinquenta gigawatts na capacidade instalada nos próximos anos, investimento estimado em US$ 50 bilhões.

Atualização 15/10/2021

A Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (Creg) avaliou nesta sexta-feira (15) que as medidas que vem sendo adotadas para assegurar o fornecimento de energia elétrica no País seguem sendo necessárias para os próximos meses.

Durante a reunião foi apontado o aumento das chuvas, especialmente na Região Sul, e a expectativa de ocorrência de precipitações em maiores volumes nas regiões Sudeste/Centro-Oeste no curto prazo, mas ressaltou-se que a situação ainda requer atenção pelas atuais condições do solo, bastante seco, dificultando as vazões em volumes significativos que chegam aos reservatórios.

Instituída em junho por Medida Provisória, a Creg é composta pelos ministérios de Minas e Energia; da Economia; da Infraestrutura; da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; do Meio Ambiente; e do Desenvolvimento Regional.

Veja também: