O Museu Afro Brasil, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, vem se dedicando nos últimos anos a destacar contribuições artísticas e culturais que formam o Brasil.

“Heranças de um Brasil profundo” busca resgatar a cultura indígena, rompendo com a visão folclórica povoada de deuses, monstros e mitos.

Representando as mais de 300 etnias brasileiras, o público poderá apreciar peças de artesanato e manifestações artísticas dos povos indígenas Baniwa, Karajá, Marubo, Kayapó, Mehinako, Yanomami, Rikbaktsa, Tapirapé, Waurá, Tapayuna e Juruna.

Entre os trabalhos de artistas plásticos presentes na mostra estão três pinturas de Denilson Baniwa, vencedor do prêmio PIPA 2019.

A exposição também apresenta o trabalho documental de renomados fotógrafos, entre eles, Claudia Andujar, Nair Benedicto, Maureen  Bisiliat, Manuel Rodrigues Ferreira, Rosa Gauditano, Jamie Stewart-Granger e Rodrigo Pretella. Um dos destaques é o painel com fotos originais do alemão Albert Frisch, que retratou povos da Amazônia no século XIX.

“Essa ideia da herança tem o objetivo de trazer de volta à nossa memória a arte dos povos da floresta no que ela tem de mais esplendoroso que são as artes plumárias, mas também a arte dos objetos de uso, objetos simbólicos dessa cultura brasileira extraordinária", explica Emanoel Araujo, curador da exposição.

Heranças de um Brasil profundo
Local: Museu Afro Brasil
Data: 25 de janeiro a 26 de julho de 2020
Horário: de terça a domingo, das 10h às 17h
Endereço: Av. Pedro Alvares Cabral, s/n – Parque Ibirapuera, Portão 10
Telefone: (+55) 11 3320 8900
Ingressos: Inteira (R$ 15), Meia (R$7,50)
Aos sábados a entrada é gratuita

* Com informações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Prêmio PIPA e Museu

Veja também:

Política de gratuidade do Museu Afro Brasil
-
público em geral aos sábados;
- pessoas maiores de 60 anos, mediante a apresentação do documento de identidade;
- crianças até os 10 anos de idade, mediante a apresentação do documento de identidade;
- pessoas com deficiência e o respectivo acompanhante;
- jovens de baixa renda, de 15 a 29 anos, mediante apresentação da Identidade Jovem e documento de identidade;
- professores,  coordenadores, diretores, supervisores, quadro de apoio escolar da rede pública de ensino (municipal, estadual e federal);
- funcionários da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo que estejam em atividade, e seus familiares* mediante a apresentação do documento de identidade e o último holerite;
- alunos de escolas públicas do ensino fundamental e médio, mediante a apresentação de documento comprobatório;
- associados do ICOM, mediante a apresentação da carteira da organização e do documento de identidade;
- Guias de turismo, mediante apresentação de documento comprobatório;
- empregados  das Organizações Sociais gestoras de museus e programas culturais do  Estado de São Paulo, mediante a apresentação da carteira funcional;
- servidores públicos da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, mediante a apresentação da carteira funcional;
- policiais  militares, civis, técnico-científicos, em atividade, e funcionários da Secretaria da Segurança Pública do Estado e São Paulo e seus familiares*, mediante a apresentação do último holerite, acompanhado de documento de identidade;
- portadores do “Passaporte dos Museus” (válido para 1 visita) que utilizarem o mesmo até sua data de vencimento.

(*) Serão considerados familiares, o cônjuge ou companheira (o), os filhos e menores tutelados ou sob guarda, mediante comprovação documental. Para que familiares tenham acesso ao benefício, é necessária a presença do titular do direito da gratuidade.