Atualização 03/03: Nesta terça-feira (3), o subsecretário de Vigilância em Saúde, Wanderson  de Oliveira, anunciou que o Brasil registra 488 casos suspeitos do novo coronavírus.

O Ministério da Saúde contabilizou até o meio-dia desta segunda-feira (2) 433 casos suspeitos de covid-19, além de dois casos, importados da Itália, já confirmados no Estado de São Paulo.

Apenas Acre, Amapá, Roraima e Tocantins não possuem suspeitas do novo vírus em todo o País.

EstadosSuspeitos
São Paulo163
Rio Grande do Sul73
Minas Gerais48
Rio de Janeiro42
Santa Catarina36
Distrito Federal12
Bahia9
Paraná7
Ceará6
Mato Grosso do Sul6
Espírito Santo5
Mato Grosso5
Pernambuco4
Alagoas3
Goiás3
Pará2
Paraíba2
Rio Grande do Norte2
Amazonas1
Maranhão1
Piauí1
Rondônia1
Sergipe1

A Fiocruz, por meio do seu laboratório de produção Bio-Manguinhos, vai  produzir 30 mil testes do novo coronavírus. Inicialmente, serão  distribuídos 10 mil exames em todas as regiões do País.

São Paulo

No domingo (1), o governador de São Paulo, João Doria, disse em rede social que não existe motivo para pânico.

"Mesmo com o 2º caso confirmado de coronavírus em SP, reforço que não existe motivo para pânico. Os dois casos foram adquiridos fora do país. Ou seja, não há indícios da circulação do vírus em território nacional.  Não precisamos mudar a rotina em escolas e empresas", disse Doria.

Nesta segunda-feira, a escola Pueri Domus, de São Paulo, decidiu decretar quarentena de 15 dias a alunos que tenham viajado a qualquer um dos 16 países onde foram detectados casos de coronavírus.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, considerou precipitada a decisão de escolas suspenderem as aulas se não houver nenhum caso suspeito dentro da instituição. “As escolas não se embasam em nenhum  critério técnico. Imagino que elas tenham reunião de pais e o princípio  da autoridade parental prevalece. Mas, do ponto de vista de saúde pública, se uma pessoa não chega de um local, não tem febre, não tem coriza, não tem nenhum sinal, ela não tem porque ser retida”.

XP

Após a confirmação de que um de seus funcionários está infectado com o novo coronavírus, a empresa XP Investimentos informou que, como medida preventiva, todos os seus empregados que estiveram em algum país considerado de risco nas últimas duas semanas irão trabalhar de casa por pelo menos 14 dias.

Férias coletivas

A partir de hoje, 200 funcionários da fábrica de Taubaté (SP) da LG Eletronics, da área de produção de celulares, entram em férias coletivas por causa da falta de insumos para a fabricação de celulares. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (SindMetau), a empresa alegou que, diante do novo coronavírus na China, várias empresas chinesas que produzem componentes e peças para celulares, utilizados pela LG brasileira, foram fechadas, o que impede a produção de celulares no Brasil.

Por meio de nota, a LG Eletronics do Brasil confirmou que, devido ao surto do novo coronavírus no mundo, que "tem provocado o desabastecimento de peças nas produções, fará uma parada de 10 dias na produção, a partir de 2 de março, em sua unidade fabril de celulares, localizada em Taubaté".

* Com informações do Ministério da Saúde, Agência Brasil, Record TV Brasília

Veja também: