A Secretaria de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais zerou, até 31 de dezembro de 2021, as alíquotas de imposto de importação de 281 máquinas e equipamentos.

A medida reduziu de 14% para zero a alíquota de 240 novos bens de capital; renovou o beneficio de outros 21; e incluiu 20 novos bens de informática e telecomunicações, com a alíquota caindo de 16% para zero.

Somente em 2019 foram concedidos 1.189 ex-tarifários (regime de redução temporária do Imposto de Importação).

A desoneração temporária torna mais acessível a importação de máquinas e equipamentos necessários para a modernização e o aumento da produção industrial.

Indústria 4.0?

Uma pesquisa de 2016 da CNI, realizada com 2.225 indústrias de todos os portes, mostrou que apenas 48% das empresas utilizavam ao menos uma tecnologia digital. O atraso fica mais evidente porque 32% das indústrias de grande porte e 57% das pequenas empresas consultadas não sabiam identificar quais tecnologias têm potencial para alavancar a competitividade do setor. O  levantamento também apurou que o uso de tecnologias está concentrado no controle de processos e não na concepção e desenvolvimento. As empresas decidem usar novas tecnologias digitais principalmente para reduzir custos (54%) e aumentar a produtividade (50%).

Desafios

  • Indústria representa hoje menos de 10% do PIB
  • Entre 2006-2016 a produtividade da indústria no Brasil caiu mais de 7%
  • No Índice Global de Competividade da Manufatura, o Brasil caiu da 5º posição em 2010 para a 29º posição em 2016
  • Brasil ocupa a 69ª colocação no Índice Global de Inovação

* Com informações do jornal O Estado de S. Paulo.