“A Merck [MSD] tem uma longa história de experiência em vacinas e esperamos que esse acordo de fabricação aumente nossa capacidade de produção para que possamos fornecer além de nossos compromissos atuais”, disse a J&J em um comunicado.

As autoridades americanas esperavam que a autorização da vacina da Johnson & Johnson (J&J) reforçasse a campanha de vacinação do país antes mesmo do acordo com a MSD, que irá fabricar e envasar o imunizante para a J&J.

A J&J diz que está a caminho de entregar 100 milhões de doses até o final de junho após ter enfrentado "desafios significativos" devido ao processo de fabricação "altamente complexo", tendo produzido apenas 3,9 milhões de doses antes de receber a autorização de uso emergencial nos EUA no sábado passado (27).

No ensaio global de 44.000 voluntários, a vacina da J&J foi 66% eficaz na prevenção de covid moderada a grave quatro semanas após a inoculação.

Mais estudos são esperados. A FDA rejeitou no sábado a tese de que as evidências provavam que a vacina evitava a transmissão entre as pessoas e acrescentou que não havia dados para determinar quanto tempo dura a proteção da vacina.

Nota: A Merck Sharp&Dohme (MSD) é uma empresa americana não relacionada à farmacêutica alemã Merck, que detém os direitos do nome e da marca "Merck" internacionalmente, exceto no Canadá e nos Estados Unidos.

* Com informações do Financial Times

Veja também: