"A Frota Ártica Russa, uma nova estrutura, está sendo considerada. Será uma formação separada dentro da Marinha, e sua responsabilidade será garantir a segurança da Rota do Mar do Norte e da costa Ártica na área de responsabilidade das frotas do Norte e do Pacífico", disse fonte militar à TASS nesta quinta-feira (7).

Segundo a fonte, a criação da infraestrutura permitirá que as frotas do Norte e do Pacífico se concentrem na resolução de missões de combate. No futuro, ela terá navios e equipamentos especiais adequados para o Ártico.

A luta pela região rica em recursos envolve não apenas os países do Oceano Ártico – Rússia, Noruega, Dinamarca, Canadá e Estados Unidos – mas também potências de outras regiões, como, por exemplo, a China. A pesquisa polar não é mais um esforço puramente científico. O foco mudou para os aspectos econômicos, o que por sua vez levou a um sério debate político entre os Estados árticos.

Na década de 1990, quase todas as unidades militares russas estacionadas no Ártico foram reduzidas. Basicamente, não havia presença do exército em todo o litoral, de Murmansk a Chukotka. A Rússia perdeu o controle sobre a vasta região.

Agora a Rússia está retornando ao Ártico e usando novas soluções tecnológicas para fazer valer sua reivindicação. As Forças Armadas russas estão aumentando rapidamente seu potencial militar e sua presença na região. Moscou tem a maior frota de quebra-gelos do mundo. Está construindo bases militares e navais, bem como campos de aviação na região. Também está melhorando seus sistemas de apoio aéreo e proteção antiaérea, e está atualizando seus radares.

Mas outros Estados árticos estão fazendo o mesmo. Isso levanta a questão de saber se os interesses conflitantes na região poderão levar a uma guerra em grande escala.

A OTAN está claramente interessada no Ártico. Então, de um lado da escala, estão os EUA, Noruega, Canadá, Groenlândia e Dinamarca. Do outro lado, está a Rússia.

Quebra-gelo nuclear russo "50 anos de Vitória" escoltando navio na Rota do Mar do Norte, no Ártico.
Quebra-gelo nuclear russo "50 anos de Vitória" escoltando navio na Rota do Mar do Norte, no Ártico. Foto: © Rosacom

* Com informações da TASS, RT

Leitura recomendada:

Veja também: