Entre os apoiadores de Macron reina a inquietação. Apela-se a uma aceleração urgente da campanha do presidente recandidato, que é considerado “muito distante” dos franceses.

"É claro que Marine Le Pen pode ganhar", alertou o ex-primeiro-ministro de Macron, Edouard Philippe, em entrevista ao jornal Le Parisien publicada online na quinta-feira (31).

Philippe, que está apoiando Macron, acrescentou que "se ela ganhar, acredite, as coisas serão seriamente diferentes para o país... Seu programa é perigoso.

O Presidente do Senado, Gérard Larcher, também mostra preocupação e alerta que Marine Le Pen “pode ganhar” em 24 de abril. Ele apóia Valérie Pécresse, do partido Os Republicanos, que está em quinto lugar nas sondagens com menos de 10% das intenções de voto.

O cientista político Yascha Mounk tem falado com as "pessoas mais inteligentes e bem informadas" que ele conhece na França — e elas estão "surtando".

O comício de Macron neste sábado (2) no La Defense Arena — um estádio que abriga shows musicais e jogos de rúgbi — representa uma chance crucial para o presidente francês recuperar o impulso.

Há cinco anos, Emmanuel Macron venceu com 66,1% dos votos contra 33,9% para Marine Le Pen.

A situação agora é diferente, devido aos problemas sociais que Macron enfrentou durante o seu mandato, à guerra na Ucrânia e às suas consequências econômicas no dia a dia dos franceses e, sobretudo porque, nas atuais eleições, Marine Le Pen conta com reserva de votos para o segundo turno, o que não aconteceu há cinco anos.

A líder do Ajuntamento Nacional (antiga Frente Nacional) deverá contar com eleitores que no primeiro turno votaram em Éric Zemmour e ainda votos da direita dita “popular” do partido Os Republicanos.

"Sentimos isso nas ruas, há uma grande dinâmica, uma esperança que está surgindo à medida que a campanha se aproxima do fim", disse Le Pen em uma visita ao leste da França nesta sexta-feira (1º).

"O que as pessoas disseram foi que a reeleição automática de Emmanuel Macron acabou por ser fake news. É perfeitamente possível derrotar Emmanuel Macron e mudar radicalmente a política deste país", acrescentou.

Para o primeiro turno, em 10 de abril de 2022, a última pesquisa Elabe, publicada na quarta-feira (30), atribuiu 28% a Macron; 21% a Le Pen; 15,5% ao candidato da esquerda radical, Jean-Luc Mélenchon; 10,5% a Zemmour; e 9,5% a Pécresse. Os demais candidatos somaram 2,5%.

Atualização 06/04/2022

Pesquisa da Harris Interactive realizada de 1º a 4 de abril mostra Marine Le Pen apenas 3 pontos percentuais atrás de Macron no segundo turno.

Pesquisa realizada entre 1º e 4 de abril de 2022
Pesquisa realizada entre 1º e 4 de abril de 2022

O apoio a Le Pen também continuou a crescer nas pesquisas sobre as intenções de voto em primeiro turno nas últimas duas semanas, enquanto Macron perdeu terreno.

Pesquisa realizada entre 1º e 4 de abril de 2022
Pesquisa realizada entre 1º e 4 de abril de 2022

Atualização 07/04/2022

France, Atlas Politico poll

Segundo turno

Le Pen: 50.5%

Macron: 49.5%

Fieldwork: 4-6 April 2022

Atualização 10/04/2022

RÉSULTATS DU PREMIER TOUR:

  • Emmanuel Macron: 28,6%
  • Marine Le Pen: 24,4%
  • Jean-Luc Mélenchon: 20,2%
  • Éric Zemmour: 6.8%
  • Yanick Jadot: 4,6%
  • Valérie Pécresse: 4,6%

Fonte: Projeção IFOP

Atualização 11/04/2022

Resultado final do primeiro turno.

* Com informações do Expresso.pt, The Local FR

Leitura recomendada:

Veja também: